Embarcação

Navio Museu Santo André reabre ao público em Ílhavo 

Zulay Costa

 foto Zulay Costa/JN

 foto Zulay Costa/JN

O Navio Museu Santo André, ancorado junto ao Jardim Oudinot, na Gafanha da Nazaré, Ílhavo, abriu este sábado ao público. A embarcação, considera João Campolargo, presidente da Câmara de Ílhavo, desempenhará um papel importante na promoção turística do território.

Para aumentar a visitação e a duração da estada turística, disse o autarca, está a ser desenvolvida uma "estratégia que alia a boa oferta cultural, destinada a vários públicos, garantido a diversidade e a qualidade dos programas, ao destino turístico e gastronómico de excelência".

Presente na cerimónia, o Secretário de Estado do Mar, José Maria Costa, realçou que a reabilitação da embarcação contribui para "preservar a identidade e a memória local e nacional". "Esta embarcação singular, para além de servir como um polo agregador de memórias de antigos tripulantes e de interação entre as comunidades piscatórias e de vários públicos, tem ainda o potencial de promover o estudo e a contemplação de património industrial" acrescentou.

O navio museu reabriu após uma obra de requalificação, com um novo projeto museográfico. A casa das máquinas, o coração do navio", poderá ser visitada pela primeira vez.

Esta foi a primeira grande intervenção desde que o Santo André, embarcação que fez parte da frota portuguesa do bacalhau, passou a navio museu, no ano de 2001. Os trabalhos custaram 1,2 milhões de euros, valor que foi comparticipado em 75% por fundos comunitários.