Oliveira de Azeméis

Advogado atacado por uma matilha pede responsabilidades à Câmara

Advogado atacado por uma matilha pede responsabilidades à Câmara

Um homem de 71 anos foi atacado na sexta-feira por três cães errantes no centro de Oliveira de Azeméis, quando atravessava a passadeira.

Armindo Almeida, advogado que vive em Lisboa mas tem casa em Azeméis, chegou à cidade na sexta-feira para uns dias de descanso. Quando saiu de casa, para ir dar uma volta, cerca das 16.30 horas, foi atacado por uma matilha de cães que anda por ali há já algum tempo.

"Quando ia a atravessar a passadeira vejo três cães, mas nem liguei muito porque gosto de animais. Até que um se lança à minha perna esquerda e os outros dois também vêm em direção a mim, dos quais me consegui defender com a perna direita", conta. Armindo ficou com três furos na perna e recorreu ao Centro de Saúde para ser assistido. Foi vacinado contra o tétano e tratado ao fim de algumas horas.

A GNR disse-lhe que teria que apresentar queixa-crime contra incertos, algo que não irá fazer, "porque isso não resolve o problema". Segundo o informaram, "a Câmara está farta de ser avisada destes cães que andam a circular no centro". Quando contactou a Autarquia, disseram-lhe apenas que tomaram nota da situação. Por isso, Armindo está a preparar uma carta dirigida à Câmara para pedir responsabilização e, assim, prevenir ataques futuros. "Um grupo de crianças ia a passar ao mesmo tempo que eu, por acaso fui eu, mas podia ter sido mais grave", afirma.

A vereadora do Ambiente, Inês Lamego, esclareceu que a Câmara está ao corrente da situação, mas está numa situação de impotência. "Há relatos recentes de dois cães que morderam uma criança. Já foram recolhidos quatro dessa matilha, mas o Canil Intermunicipal está lotado e a lei atual não nos permite o abate", explica.

A vereadora diz que o Município está a estudar uma medida de apoio à esterilização e apela ainda à adoção responsável, "porque é a única forma de colmatar o problema de lotação do canil". O canil serve atualmente seis concelhos, todos com situações de animais errantes. Por isso, a Autarquia de Azeméis está ainda a colaborar com a associação Patinhas e Patudos, no sentido de encontrar uma solução.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG