Esmoriz

Bombeiros de Esmoriz controlaram estragos no bairro dos pescadores

Bombeiros de Esmoriz controlaram estragos no bairro dos pescadores

Famílias residentes no bairro piscatório de Esmoriz, em Ovar, passaram a noite acordadas, a acompanhar as operações dos bombeiros que procuravam evitar a destruição das casas, construídas essencialmente à base de madeira.

Os ventos fortes e a violenta ondulação marítima já tinham causado inundações durante a tarde, mas, por volta das duas da manhã, hora da preia-mar, 17 operacionais dos Bombeiros Voluntários de Esmoriz já repetiam no local os mesmos trabalhos de prevenção e limpeza.

Miguel Gomes, comandante da corporação, declarou à Lusa que "a situação da madrugada foi muito violenta, pior do que a que se tinha visto à tarde", e que "aquelas famílias ficaram a pé toda a noite, a controlar o que se ia passando com o mar".

Os sacos de areia colocados propositadamente no local para funcionarem como barreira não foram suficientes para evitar que as ondas galgassem as casas de madeira, colocando em risco a estabilidade das que se encontram mais próximas da praia.

"Houve uma família a quem pedimos para sair, porque a casa não tinha uma construção segura e corria o risco de cair", conta Miguel Gomes. "Eles saíram, mas não quiseram ir para lado nenhum e ficaram toda a noite na rua, a ver como as coisas corriam".

As restantes casas não correram tantos riscos, mas, segundo o comandante, os ocupantes também estiveram de vigília toda a noite, "porque houve inundações e muita limpeza para fazer".

Sem causar prejuízos de maior, a situação atenuou a partir das cinco da manhã. O comandante dos Bombeiros Voluntários de Esmoriz considera que "a zona está toda com muito mau aspecto", mas, apesar de as previsões ainda anunciarem mau tempo, defende que "o pior já passou".