O Jogo ao Vivo

Ovar

Crónica de um jornalista sitiado: Venham mais 15

Crónica de um jornalista sitiado: Venham mais 15

Mesmo que não tivesse as notificações do JN ativas no meu telemóvel, a notícia de que o cerco sanitário foi prolongado por mais 15 dias ter-me-ia chegado igualmente na hora, tal foi a quantidade de munícipes conhecidos, amigos e familiares que prontamente me alertaram para isso.

É um pouco assim que o concelho de Ovar tem vivido, numa quarentena geográfica de grande proximidade entre todos os que estão deste lado da barricada. Uma proximidade bem maior do que a física poderia permitir. Tanto assim é que só ao fim de três anos neste apartamento, transformado por estes dias em escritório, percebi que tenho um vizinho que toca um instrumento musical de sopro duas a três horas por dia, sempre à tarde. Sinal de que também ele está a cumprir escrupulosamente o que nos é pedido de forma diária nas comunicações do presidente da CMO. Percebo também que aos olhos da população local, Salvador Malheiro mais do que faz jus ao primeiro nome. "O nosso Salvador disse isto, o nosso Salvador disse aquilo" é algo que também ouço recorrentemente. Mas ontem também ouvi lamentos pelo "corredor" que se vai abrir, vindos de quem tem de voltar hoje à fábrica onde "já há 13 casos positivos à Covid-19". Ninguém quer dar por perdido os primeiros 15 dias em cativeiro. Todos queremos ser os primeiros a sair dele. Venham mais 15.

Outras Notícias