Sensibilização

Drones em Ovar avisam: "Não corra riscos desnecessários"

Drones em Ovar avisam: "Não corra riscos desnecessários"

"Fique em casa, não permaneça na rua. Não corra riscos desnecessários". Esta mensagem era ouvida reiteradamente, ontem de manhã, pelos cidadãos que circulavam no centro de Ovar.

Os que abrandavam a caminhada olhavam para a rua com curiosidade, mas não encontravam a fonte da mensagem sonora. Parecia surgir do nada.

"Pensei que fosse um carro com altifalantes a fazer esta sensibilização, mas não vi nada", atestava Rosa Moreira, de óculos embaciados pela respiração que lhe escapava pela máscara na face. "Olhe para cima, que já fica a ver de onde vem", ajudava Emília Sousa, da varanda do seu primeiro andar e com olhar fixo no céu.

Surpreendida, a mulher viu um pequeno objeto, quase impercetível, a deslocar-se por entre os prédios, ao mesmo tempo que debitava as mensagens de prevenção em relação à pandemia do Covid-19.

O drone da PSP, na sua missão de "patrulheiro", efetuava mais uma das suas passagens pela malha urbana, a baixa altitude, indiferente aos muitos obstáculos na rua, comandado por um elemento da PSP, apto para aquela tarefa de precisão.

PUB

"Os drones são uma mais-valia para identificar possíveis aglomerações de pessoas e fazer passar as mensagens de sensibilização e aconselhamento da PSP", explicou ao JN o comissário Jorge Pimenta, comandante da PSP de Ovar. O responsável acrescenta que estes aparelhos têm ainda um "efeito persuasivo". "Quando chegamos aos locais identificados, a maioria das pessoas já dispersou", sublinha.

Cinco dias de atuação

Após cinco dias no concelho vareiro, a equipa da PSP que opera a aeronave não tripulada regressou, ontem, a Lisboa. "Solicitaremos os serviços do drone sempre que considerarmos oportuno e que as condições meteorológicas permitam a operação do mesmo", adiantou o comissário.

Ainda antes de patrulhar o centro de Ovar, o drone tinha já passado pelo Furadouro, mas não havia praticamente ninguém a circular nesta zona costeira.

Cenário diferente do vivido nas ruas do centro da cidade, com circulação constante de viaturas e munícipes apeados.

"As pessoas estão a respeitar as indicações. Existe uma maior movimentação, porque os cidadãos já podem ir trabalhar e há também uma maior abertura para que as pessoas possam circular na via pública, apesar das medidas ainda muito restritivas que têm que respeitar", justificou Jorge Pimenta.

Muitos dos vareiros deslocavam-se munidos das respetivas máscaras. Eram maioritariamente jovens e pessoas de meia idade a utilizar esta proteção, em detrimento dos idosos que, salvo exceções, não tinham qualquer resguardo para evitar o contágio.

Câmara toma 20 medidas de apoio à economia

Salvador Malheiro, presidente da Câmara de Ovar, anunciou, na terça-feira, 20 medidas de apoio à economia, a aprovar amanhã. Entre outras, o autarca destacou a isenção de rendas durante 12 meses nos imóveis do Município e a isenção de taxas de ocupação no mercado municipal e no espaço público, até dezembro. Também será concedido um apoio de dois euros diários aos 516 alunos do 1.° ciclo, do escalão A, nos 46 dias do terceiro período.

Cerca sanitária

Os drones foram também utilizados aquando do estado de calamidade, para controlar o cerca sanitária.

Visitas a infetados

A PSP tem visitado todos os infetados com Covid-19, para aferir se a permanência em casa está a ser cumprida. Dos mais de 600 casos no município, cerca de 450 estão sob alçada da PSP e os restantes da GNR.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG