Solidariedade

Ficou paralisado da noite para o dia. Henrique quer voltar a brincar com os filhos

Ficou paralisado da noite para o dia. Henrique quer voltar a brincar com os filhos

Henrique, da Feira, foi diagnosticado com uma doença que causa fraqueza muscular. Amigos unidos para ajudar.

"Deitei-me bem, mas quando acordei já estava sem força alguma". Henrique Santos, 39 anos, recua, num ápice, até aos primórdios do mês de agosto do ano passado, quando, de um momento para o outro, viu a vida virar-se do avesso. Caiu numa cama de hospital, onde esteve internado durante 143 dias, os primeiros dois em coma induzido. O diagnóstico foi severo, síndrome de Guillain-Barré, uma doença neurológica autoimune que provoca fraqueza muscular generalizada. Henrique, de Santa Maria da Feira, vive com dificuldades, motivando uma onda de solidariedade entre a comunidade.

"O que me safou foi ter a cabeça no sítio", diz. É a cabeça que o impede de resignar-se à doença e o ajudou a superar o facto de não ter visto o segundo filho nascer. "O meu maior desgosto é não conseguir pegar nele ao colo", confessa.

Assim que Sérgio Silva, antigo colega de equipa nos escalões jovens do Argoncilhe, soube da história procurou o amigo, que já não via há mais de dez anos. "Fui a casa dele e vi o que precisavam. Verifiquei que havia gente a ajudar em termos de alimentação, mas é preciso dinheiro para as outras coisas", explica.

Os apoios sociais demoraram a surgir, e só recentemente Henrique viu ser-lhe atribuído um atestado multiusos, com um grau de incapacidade superior a 90%.

Recolha de fundos

PUB

"Ele esteve seis meses internado, com dois filhos menores e a esposa desempregada. Percebi que eles precisavam de dinheiro para terem alguma independência financeira", acrescenta Sérgio, que criou, nas redes sociais, uma recolha de fundos que já angariou perto de 1800 euros.

Henrique não esconde a emoção pelo gesto. "Foi das maiores surpresas que tive. Encheu-me o coração de alegria e deu-me força para poder voltar ao que era".

A esperança, garante, nunca a irá perder. A fisioterapia, que Sérgio garantiu que não lhe iria faltar, já lhe permitiu recuperar alguns movimentos.

"A terapeuta puxa por mim e é assim que eu quero. Eu digo-lhe que vou voltar a andar, custe o que custar, para poder brincar com os meus filhos", atira, com convicção na voz.


Quem estiver interessado em apoiar Henrique Santos pode fazê-lo através de transferência bancária para a conta com o IBAN PT50 0193 0000 1050 3889 8177 2 ou por MB Way pelo número 937208050.

Os antigos colegas de trabalho de Henrique Santos juntaram dinheiro para lhe oferecer uma cadeira de rodas, tendo a empresa onde trabalhava, a corticeira Cork Supply Portugal, financiado o valor remanescente.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG