Poluição

Guardiões dos rios vigiam linhas de água na Feira

Guardiões dos rios vigiam linhas de água na Feira

Câmara, Indaqua e Agência Portuguesa do Ambiente (APA) assinaram nesta terça-feira protocolo para despoluição das bacias hidrográficas.

São os guarda-rios dos tempos modernos. João Lima e Severino Maia integram a designada equipa de "guardiões dos rios", a nova esperança para a deteção atempada dos responsáveis pelas descargas poluidoras das linhas de água de Santa Maria da Feira.

Com os focos de poluição nos rios a serem um dos assuntos de maior preocupação no concelho da Feira, esta nova equipa, composta por colaboradores da Indaqua e que surge após o protocolo celebrado, nesta terça-feira, juntamente com a Câmara e a APA, terá como prioridade garantir uma fiscalização mais apertada de descargas indevidas e dissuadir outras ações poluidoras.

Uma tarefa que não se apresenta simples. É depositada neste grupo de colaboradores a confiança de que possam contribuir para resolver, ou pelo menos minimizar, um problema de décadas e que sucessivos alertas da população e fiscalização das diferentes entidades não têm conseguido por termo efetivo.

"As descargas criam situações desagradáveis para a população e a nível ambiental. Por esse motivo consideramos o nosso trabalho muito importante", afirmam João Lima e Severino Maia.

Os dois guardiões, que fazem parte de uma equipa mais numerosa de colaboradores da concessionária dedicados àquela função, sabem que "não é uma tarefa fácil". "Temos que tentar perceber qual a origem das descargas. Um trabalho que nem sempre é simples, mas que tem que ser feito" justificam, com determinação.

"Com esta iniciativa, reforçamos o nosso compromisso para com a proteção das linhas de água e a diminuição dos riscos ambientais que o concelho enfrenta", explica, por seu lado, Daniel Cardoso, Diretor Geral da Indaqua Feira.

PUB

Acrescenta que, desta forma, é alocada "uma equipa de profissionais especializada a este trabalho", referiu.

Para o presidente da Câmara da Feira o recente protocolo e a criação da equipa de "guardiões dos rios" pretendem dar "maior visibilidade e eficácia a todo o processo, numa perspetiva de sensibilização, prevenção e atuação na identificação dos prevaricadores".

Emídio Sousa diz-se convicto de que estas medidas vão criar uma maior consciencialização ambiental na população, "que vai ficando mais atenta e ativa, bem como reduzir significativamente as descargas ilegais para as linhas de água por parte de algumas pessoas, ainda pouco sensíveis aos graves problemas que as suas ações estão a provocar na biodiversidade ribeirinha".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG