O Jogo ao Vivo

Inatividade

Protesto contra a direção "tira" 52 bombeiros à corporação de Lourosa

Protesto contra a direção "tira" 52 bombeiros à corporação de Lourosa

A partir da meia-noite, os Bombeiros de Lourosa deixam de contar com 52 operacionais do corpo ativo. Os homens apresentaram inatividade, em jeito de protesto, já em último recuso para que a direção se demita.

"Isto é muito grave, servimos 11 freguesias e as populações vão ficar em risco. Vamos fazer o que pudermos, mas com meia dúzia de bombeiros assalariados não fazemos milagres. Não há volta a dar, só queremos que a direção se demita", diz o atual comandante interino, Fernando Oliveira.

O comandante garante que o corpo não aguenta mais este impasse, que vem já na sequência de uma série de eventos. Depois da não recondução para funções dos dois adjuntos do Comando por parte da Associação Humanitária, comandante, segundo comandante e os dois adjuntos do Comando apresentaram o pedido de exoneração. Não estão em funções desde o dia 18 de março. A esta luta pela demissão da direção, juntam-se agora 52 voluntários que se retiram do serviço, deixando a corporação em graves dificuldades para acudir às ocorrências.

"Isto já vem de há muitos anos, tem havido uma guerra com a direção", refere o comandante interino. A guerra culminou na saída dos quatro elementos do Comando e o corpo ativo só pede que a direção se demita. A recente condenação do presidente da associação por importunação sexual a uma mulher que fazia trabalho comunitário no quartel veio impulsionar esta luta.