Covid-19

Vacinação na Feira passa do Europarque para Patronato de Lamas

Vacinação na Feira passa do Europarque para Patronato de Lamas

A vacinação contra a covid-19 em Santa Maria da Feira funcionará pela última vez no centro de congressos Europarque a 26 de setembro, transferindo-se depois para o Patronato de Santa Maria de Lamas.

O dispositivo que centraliza a inoculação contra o vírus SARS-CoV-2 nesse concelho do distrito de Aveiro já reduziu o seu horário de atividade dada a presente diminuição da procura, mas até ao dia 26 continuará a funcionar no edifício da freguesia de Espargo, agora em regime de porta aberta para maiores de 12 anos, e no dia 27 deslocar-se-á com uma estrutura mais pequena para a localidade de Santa Maria de Lamas.

"Chegámos a equacionar manter o dispositivo no Europarque num formato mais reduzido, mas isso ia hipotecar uma série de eventos que estão agendados para lá e, por isso, decidimos que o melhor era transferir a estrutura para outro local", disse à Lusa fonte da Câmara da Feira.

A opção de confiar a restante vacinação contra a covid-19 aos centros de saúde foi posta de lado por "decisão conjunta" de autarquia, agrupamento local da rede de cuidados primários e autoridade de saúde pública.

"Para isto funcionar bem nos centros de saúde era preciso que eles tivessem mais recursos e, como não podemos aumentar as equipas, decidimos manter na mesma o trabalho centralizado e mudá-lo só para Lamas, para um espaço que se adequa perfeitamente e que continuará com parte dos profissionais que já vêm fazendo este serviço no Europarque", explicou a fonte da Câmara.

Aquele que será o terceiro edifício a acolher a vacinação local contra o novo coronavírus, depois de em janeiro de 2021 o processo se ter iniciado no Cineteatro António Lamoso, também funciona há alguns meses como centro de realização de testes PCR para diagnóstico de infeções.

PUB

A partir do dia 27 de setembro, inclusive, os cerca de 15% da população local ainda sem vacina completa poderão requisitá-la no Patronato de Lamas, de segunda-feira a sábado, das 08:00 às 15:00, onde o dispositivo continuará a envolver uma equipa de profissionais de saúde, técnicos municipais e voluntários.

"A mudança vai-nos permitir ganhos de escala porque o Patronato estará dedicado apenas a este serviço enquanto os centros de saúde teriam que se dividir por muito mais tarefas", defendeu a fonte já citada.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG