Premium

"Frigorífico solidário" de portas abertas para quem precisa

"Frigorífico solidário" de portas abertas para quem precisa

A dona de um restaurante na Índia instalou à porta um frigorífico para deixar as sobras do dia, para quem precisasse fosse lá buscar durante a noite. O conceito popularizou-se e, hoje, é prática comum pelo Mundo fora. Em S. João da Madeira, o "frigorífico solidário" chegou no início de dezembro. Está no Centro Coordenador de Transportes, aberto a toda a gente: qualquer pessoa pode deixar lá comida para que quem precisa.

Basta descer as escadas do Centro Coordenador para dar de caras com o frigorífico. "A verdade é que vamos pondo coisas e elas desaparecem. Significa que as pessoas levam. E há alturas em que vemos coisas que não fomos nós que pusemos", diz Helena Couto, presidente da Junta de Freguesia, que pôs o projeto em prática e vai abastecendo o frigorífico. "Havia um medo implícito de que ia ser tudo vandalizado, mas não é isso que está a acontecer", congratula-se.

Aberto até às 22 horas