Premium

Vagos dá 10 mil euros à arte xávega mas nem isso salva ano negro

Vagos dá 10 mil euros à arte xávega mas nem isso salva ano negro

Deposição de areias a sul da Costa Nova afetaram a pesca tradicional no concelho. Câmara deu apoio extra de cinco mil euros às companhas da praia da Vagueira e Areão.

"Se faturarmos 40 mil euros dá para as despesas, mas este ano não fiz sequer 10 mil". De boina na cabeça e cigarro na boca, no seu armazém de madeira junto ao mar da praia do Areão, João Esteves assume que é o "amor à camisola" que o mantém agarrado às redes da arte xávega. Sobrevive do carapau e é líder de uma das únicas duas companhas que resistem em Vagos. Num ano negro, o Município atribuiu um apoio extraordinário de 5000 euros a cada uma.

Não foi só a pandemia que roubou rendimento a quem ainda faz pesca de arrasto, mas a deposição de areias para o reforço do cordão litoral a sul da Costa Nova. "Quando começaram a pôr a lama, que veio das dragagens da ria, o mar nunca mais deu nada, estava carregado de moliço e o cheiro espanta o peixe", atira João Esteves, mais conhecido por Valdemar, nome que herdou do pai. Este ano, foi poucas vezes à lota vender o peixe. A verba extra vem juntar-se ao apoio financeiro anual que o Município já dá, também no valor de 5000 euros. Ao todo, cada companha recebeu 10 mil este ano. Não é suficiente, mas ajuda. "E muito, já dá para atamancar. Se não fosse a Câmara, já tinha parado", diz Valdemar.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG