Beja

Câmara desmente CIMBAL sobre pagamento de reparação de autoescada dos bombeiros

Teixeira Correia

 foto DR

CIMBAL- Paulo Arsénio (esquerda) e António Bota (centro)|

 foto DR

Os autarcas socialistas Paulo Arsénio e António Bota entraram em rota de colisão por causa do pagamento dos restantes 30 mil euros da reparação do Veículo Escada 30 (VE30) dos Bombeiros Voluntários de Beja (BV), depois de se conhecer que a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) assegura 30 mil euros.

O VE30 está inoperacional há alguns meses e a reparação está orçada em 60 mil euros, verba que os BVB não dispõem.

O presidente da Câmara Municipal de Beja desmentiu o presidente da Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo (CIMBAL) e também presidente da Câmara de Almodôvar, depois da CIMBAL ter emitido, na tarde desta sexta-feira, um comunicado onde é garantido que a autarquia bejense "assegura os restante 30 mil euros para a reparação da autoescada dos bombeiros".

Ouvido pelo JN, o autarca bejense desmentiu categoricamente o seu colega: "não é verdade. Isso não corresponde à verdade e nunca foi dito. Está errado", disse, acrescentando que a Câmara de Beja "tem um compromisso sólido. O pagamento de 50% do valor não comparticipado, sem IVA, que corresponde a 10 mil euros", concluiu.

Paulo Arsénio foi mais longe e garantiu que o assunto vai ser levado de novo à reunião do Conselho Intermunicipal da CIMBAL do próximo dia 12 de setembro, "para que todos os municípios possam contribuir. Se todos tiverem boa vontade podem mantê-la", rematou o edil bejense.

Antes, ao JN, António Bota tinha referido que, "apesar de estar no comunicado, não existia nenhum documento da Câmara de Beja a assegurar os 30 mil euros", justificando que na reunião o presidente da Câmara de Beja "assegurou a comparticipação de 10 mil euros e que podia chegar mais longe".