Exclusivo

Avião da Air Astana caiu 15 mil pés em pouco tempo

Avião da Air Astana caiu 15 mil pés em pouco tempo

Foram duas horas de tensão máxima. "Mayday, mayday". Eram 13.33 horas de domingo quando o piloto repetiu o sinal internacional de emergência à torre de controlo.

Sem domínio sobre os instrumentos logo depois de descolar de Alverca, o piloto da Air Astana, do Cazaquistão, quis regressar ao aeroporto ou amarar no rio ou no mar. Mas acabou por percorrer os céus de Lisboa, Santarém e Évora até aterrar, à terceira tentativa, na base da Força Aérea de Beja. Foi o melhor desfecho possível olhando a que o avião estava "completamente descontrolado", fazendo elevar o nível de risco.

O que levou a aeronave a perder o controlo dos instrumentos ainda será apurado, até porque se trata de um aparelho novo: saiu da fábrica da Embraer de São José dos Campos, Brasil, em dezembro de 2013. O Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e de Acidentes Ferroviários foi uma das muitas entidades acionadas e já começou a questionar os dois pilotos e quatro técnicos que seguiam a bordo. Os seis estão bem de saúde, mas os dois pilotos precisaram de ajuda médica: um cazaque, de 36 anos, saiu às 17.30 horas do hospital, e um inglês, de 54 anos, teve alta às 19 horas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG