Pandemia

Hospital de Beja transfere cinco doentes para estrutura de apoio em base aérea

Hospital de Beja transfere cinco doentes para estrutura de apoio em base aérea

Cinco doentes infetados com SARS-CoV-2 que estavam internados na enfermaria covid do Hospital José Joaquim Fernandes, em Beja, foram transferidos na tarde desta segunda-feira para o Centro de Acolhimento da Base Aérea (BA) 11.

Trata-se de doentes que precisam de apoio específico, mas sem necessidade de internamento hospitalar, o que permite que sejam libertadas camas na unidade hospitalar para infetados que necessitem de outro tipo de assistência clínica.

A operação começou cerca das 16.30 horas e uma hora e meia depois os doentes rumaram à Estrutura de Apoio de Retaguarda (EAR) que funciona na BA11, efetuada em ambulâncias dos Bombeiros de Beja, Ferreira do Alentejo, Serpa e Vidigueira.

Trata-se de intervenção conjunta entre a Autoridade Nacional de Emergência de Proteção Civil, através do CDOS de Beja, que assume as despesas com o Centro de Acolhimento, da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA) responsável pelos médicos, enfermeiros e material clinico e da Segurança Social que responde pela contratação do pessoal de apoio.

O Hospital de Beja, que no início do ano tinha 24 camas, aumentou a sua capacidade para 71 em Enfermaria e oito camas na Unidade de Cuidados Intensivos (UCI). Segundo os últimos dados da ULSBA, estão ocupadas 52 camas na Enfermaria e a totalidade na UCI.

Centro de Acolhimento Covid na BA11

O espaço, que funciona num edifício do final dos anos 60, tem uma configuração com 44 quartos duplos, tendo sido feitas adaptações nas casas de banho e duches.

PUB

No dia 17 de outubro o EAR da BA11 recebeu 58 mulheres da Mansão de São José, em Beja, onde tinha deflagrado um surto de covid, que foi responsável por uma centena de infetados e 22 mortos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG