Covid-19

Hospital de Beja reforça capacidade da cuidados intensivos

Hospital de Beja reforça capacidade da cuidados intensivos

O aumento de doentes covid-19 com necessidade de internamento na Unidade de Cuidados Intensivos (UCI) levou a Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA) a aumentar de oito para 12 o número de camas no Serviço de Internamento de Medicina Covid (SIMC), do Hospital José Joaquim Fernandes (HJJF), em Beja. A UCI tem agora 10 doentes internados.

No dia 10 de janeiro, como internamento naquela unidade, quatro camas de nível III, registava uma ocupação plena, a ULSBA foi obrigada a aumentar para o dobro a capacidade de resposta UCI. Como nos últimos dias os casos foram subindo, este setor covid-19 foi reforçado com mais quatro camas, tendo agora 12 no total.

Este panorama levou à reconfiguração da Enfermaria covid-19 do SIMC, que no início do corrente mês tinha 71 camas e chegou a ter uma taxa de ocupação de 88,73%, passou agora a contar com 64, estando internados 45 doentes. Quando foi criada, a Enfermaria dispunha de 24 camas e o aumento da evolução da pandemia levou ao reforço dos meios hospitalares de internamento.

O conselho de administração da ULSBA refere que a reconversão de camas de internamento visa "dar resposta às necessidades da população e aumentar a oferta de cuidados intensivos", justificando que o número de camas "poderá sofrer ajustamentos futuros, de acordo com a evolução que se venha a verificar".

No passado dia 2 de fevereiro, cinco doentes infetados com SARS-CoV-2 que estavam internados na Enfermaria Covid do Hospital de Beja foram transferidos para o Centro de Acolhimento da Base Aérea (BA) 11, onde ainda se encontram. Tratam-se de doentes que precisam de apoio específico, mas sem necessidade de internamento hospitalar e que permite que sejam libertadas camas na unidade hospitalar para infetados que necessitem de outro tipo de assistência clínica.

Por essa altura, o Hospital José Joaquim Fernandes (HJJF), em Beja, recebeu um doente infetado com covid-19 procedente de um hospital da Unidade Local de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ULSLVT), que foi internado na Unidade de Cuidados Intensivos, tendo fonte da ULSBA referido que "sempre que há disponibilidade e surjam pedidos, estamos abertos a receber doentes de outras unidades".

De acordo com o relatório da ULSBA, sobre a sua área de jurisdição médica, nos treze concelhos do distrito de Beja, exceção de Odemira, há 880 casos ativos de covid-19, de um total de 6175, tendo nas últimas 24 horas ocorrido o registo de somente 20 novos infetados, além de 1888 pessoas em vigilância ativa na sua residência.

PUB

O número de vítimas mortais por covid-19 é de 216, sendo que no concelho de Beja há o registo de 53 mortos, 32 em Moura e Serpa, 31 em Mértola e 21 em Cuba, a esmagadora maioria em surtos em lares.

Fevereiro regista forte descida no número de infetados

Nos primeiros dez dias de fevereiro, comparativamente ao mesmo período de janeiro, houve um decréscimo de 32,1% no número de infetados nos treze concelhos da área da ULSBA. Passou de 894, para 677 infetados. Olhando para os casos ativos no dia 10 de fevereiro, comparativamente ao dia 10 de janeiro, há o registo de menos 217 casos positivos de diferença. No dia 10 de janeiro eram 894 os casos ativos, um mês depois 677.

No concelho de Beja houve uma descida 92,1% de casos de covid-19. Nos 10 dias de janeiro registaram-se 292 casos e 152 em fevereiro.

Nos mesmos períodos temporais em análise, o número de vítimas mortais é também muito preocupante. Entre 1 e 10 de janeiro registaram-se 24 mortes e no mesmo período de fevereiro ocorreram 51, ou seja, mais 27 no mesmo período de tempo. Desde o início da pandemia em março de 2020 e até 10 de fevereiro de 2021 registou-se um total de 212 mortos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG