O Jogo ao Vivo

BEJA

Praga de piolho do pombo fecha Serviço de Observação do Hospital de Beja

Praga de piolho do pombo fecha Serviço de Observação do Hospital de Beja

Uma praga de piolho do pombo obrigou ao fecho da sala do Serviço de Observação (SO) do Hospital José Joaquim Fernandes, em Beja.

A praga foi detetada cerca das 19 horas desta segunda-feira. O Serviço de Observação (SO) foi encerrado e desparasitado e os doentes foram internados em outros serviços daquela unidade hospitalar.

O Gabinete de Relações Públicas da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA), onde o hospital está integrado, confirmou o encerramento do serviço, face a "uma praga de piolhos de pombos", por um período de 12 horas, "pondo em prática de mediato a desinfestação."

O Serviço de Observação do Hospital de Beja tem cinco camas e três macas. É o espaço intermédio entre a alta e o internamento de um doente.

Os outros serviços que se situam no rés-do-chão, na ala norte daquela unidade hospitalar, não foram afetados estando a funcionar com normalidade, como é o caso do Serviço de Urgência.

O Hospital José Joaquim Fernandes está situado numa zona de Beja com uma grande concentração de pombos-domésticos. O edifício denominado de Torre, no Bairro da Força Aérea, que dista cerca de 200 metros daquela unidade hospitalar, está infestado daqueles pássaros.