O Jogo ao Vivo

Beja

Juíza poupa vida a "Zico", o cão que matou bebé em casa

Juíza poupa vida a "Zico", o cão que matou bebé em casa

Uma juíza do Tribunal Administrativo e Fiscal de Beja deu provimento ao recurso da Associação Animal e entregou-lhe "Zico", o cão arraçado de pitbull que atacou mortalmente um bebé de 18 meses, em Beja, em janeiro. Ainda que seja uma decisão provisória, a instituição, que anunciou ontem a decisão, já disse que vai buscar o animal ao canil e que vai passar a chamar-lhe "Mandela".

O cão, com nove anos e de grande porte, estava alojado desde janeiro numa jaula isolada numa ala especial para cães considerados perigosos. Desde essa altura, a Associação Animal reclamava pela sobrevivência do animal, disponibilizando-se para assegurar os seus cuidados.

"Zico" foi levado para abate por decisão da veterinária municipal de Beja, depois de ter mordido na cabeça Dinis Janeiro, uma criança de 18 meses, que morreu no hospital com um traumatismo cranioencefálico.

O abate foi, entretanto, suspenso pelo Ministério Público enquanto decorriam as investigações. Agora, com esta decisão, a Associação Animal diz que vai tomar conta do cão, mas, antes, vai levá-lo a um veterinário "de confiança".

Autópsia concludente

Contactada pelo JN, Linda Rosa, a veterinária municipal de Beja, referiu que a Resialentejo, empresa que gere o canil, "foi notificada ontem à tarde por email", acrescentando que só hoje vai ter "conhecimento oficial" do despacho do tribunal. A veterinária justificou que "cumprindo o decreto-lei, o animal não podia ser entregue a quem quer que seja", afirmando "desconhecer" se vai ou não ser "interposto recurso" da decisão.

Segundo apurou o JN, o relatório médico da autópsia à criança é concludente, quando refere que "as lesões são compatíveis com mordedura de um cão". Ainda assim, o tribunal não encontrou motivos para o abate.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG