Covid-19

Três utentes de lar morrem na mesma noite no Hospital de Beja

Três utentes de lar morrem na mesma noite no Hospital de Beja

Três utentes do lar do Centro Social e Paroquial de Nossa Senhora da Luz, em Albernoa, concelho de Beja, que estavam internadas nas Enfermarias Covid do Hospital José Joaquim Fernandes, morreram durante a madrugada de sexta-feira, vítimas do novo coronavírus.

A instituição tem um surto que foi detetado depois da tomada da primeira dose da vacina, contando com 58 pessoas infetadas, sendo 30 utentes e 18 funcionárias.

Tal como o JN divulgou na quarta-feira, a Estrutura Residencial Para Idosos (ERPI), gerida pela Diocese de Beja, esteve envolvida numa polémica, quando no passado dia 27 de janeiro não permitiu a reentrada de uma utente que depois de ter estado no hospital, não era portadora de um teste covid-19, com resultado negativo.

A mulher teve que esperar mais de uma hora, dentro da ambulância dos Bombeiros de Beja à porta da instituição, o que levou a que fosse chamada a GNR para tomar conta da ocorrência, uma vez que a doente não era recebida no lar, nem a podiam trazer de regresso ao hospital.

"A situação nos lares do concelho de Beja está a ser cada vez mais preocupante, uma vez que os surtos de covid-19 já representam cerca de um terço dos casos ativos no Município", revelou Paulo Arsénio, presidente da Câmara Municipal de Beja.

A autarquia bejense que há surtos ativos nos lares do Centro Social e Paroquial do Salvador-Polo I, Quinta da Navarra, Patronato e Santo António, todos na cidade alentejana e na ERPI da Fundação Joaquim Honório Raposo, freguesia de Salvada e o já referido Centro Paroquial de Nossa Senhora da Luz, na freguesia de Albernoa.

Fazendo um paralelo com os dados fornecidos à Câmara Municipal pela Unidade de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA), o edil afirma que "somando todos estes casos são cerca de 200 pessoas infetadas", justificou o autarca bejense, que acrescentou que "é quase um terço dos cerca de 700 casos ativos. É um número muito elevado para a realidade do concelho", justificou Paulo Arsénio.

PUB

De acordo com os dados da ULSBA e relativos às 0 horas de quarta-feira no concelho de Beja há 689 casos ativos, de um total de 2006 registados desde o início da pandemia. No concelho de Beja já se registaram 47 vítimas mortais, a grande maioria em lares, sendo que o surto mais mortífero ocorreu entre meados de outubro e novembro na mansão de São José, onde morreram 12 mulheres.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG