Óbito

Presidente da República e Ministro no funeral de bombeiro de Cuba

Presidente da República e Ministro no funeral de bombeiro de Cuba

O presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, vai estar presente no funeral de Carlos Carvalho, bombeiro de 3ª classe do quadro dos Bombeiros Voluntários de Cuba (BVC), que faleceu na sequência das graves queimaduras que sofreu em todo o corpo, quando combatia um incêndio, no passado dia 13 de julho, em Castro Verde.

O corpo do malogrado bombeiro, de 43 anos, está em câmara ardente na casa mortuária de Vila Alva, concelho de Cuba, de onde era natural. O funeral sai amanhã, pelas 15 horas, para o cemitério local.

O Presidente da Republica, que já fez saber que vai marcar presença no funeral de Carlos Carvalho, estará acompanhado pelo ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita.

O operacional dos BVC estava internado na Unidade de Queimados do Hospital de São José, em Lisboa, desde o dia do incêndio em estado que foi sempre considerado como "muito grave", uma vez que apresentava queimaduras em 95% do corpo, nunca tendo saído do coma.

A lutar pela vida continua Carlos Heleno, 29 anos, o outro operacional dos BVC, que apresenta uma situação mais favorável já que tem o corpo menos queimado.

Os dois operacionais combatiam um incêndio que deflagrou cerca das 17 horas do dia 13 de julho no concelho de Castro Verde, tendo sido apanhados numa brusca mudança de direção das chamas face ao fortíssimo vento que se fazia sentir.

Além dos dois bombeiros de Cuba, outros três operacionais dos bombeiros de Ferreira do Alentejo e Castro Verde sofreram ferimentos ligeiros, tendo esta última corporação perdido uma viatura de combate a incêndios, em resultado de um acidente.

O incêndio foi combatido por mais de 200 operacionais, apoiados por 56 viaturas e três meios aéreos, fazendo com que ardessem 2.433 hectares de cereais, pastagem e fardos, afetando 13 explorações agrícolas.