Mértola

Sete acidentes com camiões de transporte de minério já provocaram dez feridos

Sete acidentes com camiões de transporte de minério já provocaram dez feridos

Dez feridos, quatro dos quais ficaram encarcerados, é o resultado de sete acidentes envolvendo viaturas pesadas de mercadorias de matrícula espanhola que fazem o transporte de minério das minas de Aljustrel para o complexo mineiro de Huelva.

O último acidente ocorreu, na quinta-feira, às 12.40 horas, ao quilómetro 68,5 da EN 265, no sentido oeste/este, a cerca de dois quilómetros da vila de Mértola na ligação ao Pomarão, a caminho da Ponte Internacional do Baixo Guadiana.

Apesar de a GNR estar a investigar as causas do acidente, tudo aponta para que o camião tenha invadido a via contrária e abalroou a viatura ligeira de passageiros causando ferimentos ligeiros nos seus dois ocupantes, que foram assistidos no local.

No socorro às vítimas foram mobilizados seis operacionais dos Bombeiros de Mértola e da GNR, apoiados por três veículos.

Em virtude da ponte que liga Castro Marim (Algarve) a Ayamonte (Espanha) estar em obras há muitos meses e a sua travessia ser muito demorada, levou a empresa transportadora do minério a mudar a rota dos camiões.

O primeiro acidente ocorreu a 4 de abril de 2018 e verificaram-se todos na Estrada Nacional (EN) 122, três antes de Mértola e os outros três depois após passar a vila alentejana, sendo que cinco foram despistes e uma colisão.

Ponte da Ribeira de Oeiras: Um desastre anunciado

Depois do atravessamento de Mértola, para acederem à EN122/IC27, os pesados de mercadorias que transportam mais de 30 toneladas de minério cada, têm que cruzar a ponte sobre o Ribeira de Oeiras, para rumarem ao Complexo Mineiro de Huelva, entrando pela fronteira de Castro Marim/ Ayamonte.

Mas é na passagem dos camiões pela ponte do Ribeira de Oeiras que a população e autoridades temem que se possa dar uma catástrofe. Entre o carregamento em Aljustrel e a descarga em Huelva, os condutores formam "comboios", e na maior parte das vezes chegam a juntar-se três camiões em cima do tabuleiro, onde é permitida a circulação de veículos até um peso máximo de 40 toneladas.

A ponte foi construída em 1967, tem um comprimento de 98 metros, 63 dos quais são tabuleiro e uma faixa de rodagem de 4,6 metros, sofreu obras de reabilitação e reforço da estrutura concluídas em fevereiro de 2016, tendo também sido colocados sinais luminosos, para regularem a passagem alternada no tabuleiro, que permite a circulação de veículos com um peso máximo de 40 toneladas.

Ponte do Vascão: Inspeção condiciona trânsito

Para piorar a situação na EN122, e na ligação entre Mértola e Vila Real de Santo António e Ayamonte (Espanha), a ponte sobre a Ribeira do Vascão, "porta de entrada" que liga o Alentejo e o Algarve, sofreu a partir desta sexta-feira, "restrições à circulação rodoviária em cima do tabuleiro". Em comunicado a Infraestruturas de Portugal (IP) comunicou às autarquias e Comandos Distritais de Operações e Socorro (CDOS) dos distritos de Faro e Beja, que numa primeira fase procura "evitar o cruzamento de veículos em cima da ponte", acrescentando a empresa que "se irão ainda implementar medidas adicionais", podendo o trânsito de pesados vir a ser interdito na totalidade.