O Jogo ao Vivo

Ausência

Município de Ourique move processo contra artista que faltou a espetáculo

Município de Ourique move processo contra artista que faltou a espetáculo

Miguel Bravo, um jovem animador musical de espetáculos, vai ser alvo de um processo judicial movido pelo Município de Ourique. Na origem do processo está a ausência do artista num espetáculo na Feira de Garvão, durante a madrugada de domingo.

Tornou-se "famoso" depois de ter participado no programa televisivo "Got Talent Portugal" do ano passado, mas tem colecionado polémicas atrás de polémicas por falta de comparência em espetáculos marcados.

O último caso aconteceu no passado fim de semana onde avocou atuar em quatro localidades distintas em espetáculos que deviam ocorrer quase à mesma hora: Canaviais (Évora) às 22 horas, Reguengos de Monsaraz também às 22 horas, Salvaterra de Magos às 23 horas e Ourique já na madrugada de domingo, por volta das 00.30 horas. Miguel Bravo acabou por atuar em Canaviais e depois em Salvaterra já às 3 da madrugada, deixando penduradas as organizações de Reguengos e Ourique.

O Município alentejano sente-se enganado pela ausência de Miguel Bravo no encerramento da noite da Feira de Garvão, uma vez que o artista "às 23 horas dizia-nos que estava atrasado, mas que ia chegar, no entanto não apareceu" disse o presidente da autarquia, Marcelo Guerreiro, que garantiu que vai "mover um processo judicial".

Depois de muito atacado nas redes sociais pela falta nos espetáculos, Miguel Bravo, natural de Azaruja (Évora), teve necessidade de vir a público explicar-se e em comunicado assumiu que "foi um erro". "Peço desculpa às organizações e pessoas envolvidas. Marquei datas e aceitei espetáculos sem me lembrar do que já tinha marcado", sintetizou.

Para não voltar a cair no mesmo erro, o artista revelou que optou "por arranjar alguém que tome conta da agenda, para não existirem estes problemas outra vez", rematou.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG