Serpa

No maior bastião comunista, o PS espreita a mudança

No maior bastião comunista, o PS espreita a mudança

Por motivos que a CDU ainda não esclareceu, o atual presidente da autarquia, Tomé Pires, foi "despromovido" para candidato à Assembleia Municipal. Depois de nove anos à frente dos destinos da autarquia, a saída de Pires é a grande surpresa naquele que é o maior bastião comunista no distrito de Beja. Há quatro anos, Tomé Pires derrotou o opositor socialista, Manuel Gomes, por 17 pontos percentuais de diferença, garantindo à CDU uma vitória por 4-3 em número de mandatos no Executivo. O independente João Efigénio Palma, até agora presidente da Assembleia Municipal, será então o cabeça de lista da CDU à Câmara.

O PS também apresenta um independente como candidato: Tomé Panazeite, um empresário agrícola, em quem os socialistas depositam grande confiança para retirar à CDU do seu maior "bastião".

A coligação PSD-CDS/PP apresenta José Damião Félix, que aspira a ultrapassar a barreira dos dez pontos percentuais, marca só conseguida, à Direita, por Nicolau Breyner, quando foi eleito vereador pelos centristas.

Ana Moisão, natural de Pias (Serpa), Relações Públicas, vice-presidente da Concelhia de Serpa e da Distrital de Beja do Chega, é a aposta deste partido na corrida à autarquia serpense. Também o Bloco de Esquerda apresenta um candidato, trata-se de Guida Ascensão, uma psicóloga, de 51 anos, o que perfaz um total de cinco candidatos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG