Política

Militantes do PSD contestam apoio a candidato arguido à câmara da Vidigueira

Militantes do PSD contestam apoio a candidato arguido à câmara da Vidigueira

Sob o título "o povo não entende esta decisão", um conjunto de denominados militantes e apoiantes do Partido Social Democrata (PSD) do concelho de Vidigueira, escreveu uma Carta Aberta a Rui Rio, presidente dos sociais-democratas, na qual expressam "a indignação e consternação" pelo facto do partido "não apresentar candidatura" à autarquia e "ter demonstrado o seu apoio" ao movimento "Mais cidadãos".

Os autores da missiva justificam que já existe o apoio e envolvimento público "de um conjunto de sociais-democratas" do concelho a esse movimento, que tudo aponta será encabeçado por Manuel Narra, que foi presidente da autarquia da "Vila dos Gamas" entre 2005 e 2017.

Os sociais-democratas descontentes atiram uma farpa a Rui Rio sobre Manuel Narra. "Talvez não saiba, ou talvez saiba, que esse senhor foi recentemente constituído arguido pelo DIAP de Évora, pelos crimes de peculato e falsificação de documentos durante o mandato 2023/2017", escrevem, juntando cópia do despacho de acusação.

PUB

Os militantes lembram palavras de Sá Carneiro citadas por Rio, segundo as quais os candidatos do PSD têm de reunir "um somatório de três fatores: coragem, seriedade e competência". Está na hora de "cumprirmos o que proclamamos" para sermos dignos do Partido de Sá Carneiro, acrescentam.

"Ainda vamos a tempo de mudar e não aceitamos ser apoiantes e cúmplices de candidatos arguidos", rematam os autores da carta, na qual recordam as palavras de Rio sobre a Operação Marquês, quando o presidente do PSD considerou que a hipocrisia e a falta de coragem "têm feito crescer os movimentos políticos extremistas".

Oficialmente o movimento "Mais cidadãos" tornou público um comunicado em que informava que estava a preparar uma candidatura à Câmara Municipal de Vidigueira, não revelando os nomes dos integrantes e muito menos do cabeça de lista.

No passado dia 8 de abril quando José Silvano, secretário-Geral do PSD, apresentou os últimos candidatos autárquicos, justificou que "o partido tem dificuldades em alguns distritos, nomeadamente em Beja", não tendo apresentado candidatos nos concelhos de Alvito, Castro Verde, Mértola e Vidigueira, não tendo feito qualquer referência ao apoio a movimentos independentes.

No início do corrente mês de abril, o Ministério Público, através do Departamento de Investigação e Ação Penal de Évora, acusou Manuel Narra dos crimes de peculato e falsificação de documento, por eventual recebimento indevido de ajudas de custo.

Ouvido pelo JN, Manuel Narra, considerou que, avaliar pelo documento enviado a Rui Rio "a concelhia ou os militantes do PSD de Vidigueira sabem mais sobre a lista que os integrantes do movimento".

Sobre o processo instaurado pelo MP, Narra citou o secretário-geral do PS, e primeiro-ministro, quando instado a comentar a detenção de José Sócrates: "à justiça o que é da justiça".

Eleito durante 12 anos pela CDU, Manuel Narra deixou um aviso: "veremos se no fim do processo quem andou a enviar mails do correio eletrónico da Câmara Municipal não vai acabar arguido. Repito, à justiça o que é da justiça", concluiu.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG