Barcelos

D. António Barroso já está perto dos santos

D. António Barroso já está perto dos santos

Os restos mortais do antigo bispo do Porto, D. António Barroso, já foram transladados da capela jazigo de Remelhe, em Barcelos, para a igreja paroquial da freguesia.

As exéquias fúnebres aconteceram esta tarde e foram presididas pelo arcebispo de Braga, D. Jorge Ortiga, acompanhado pelo bispo do Porto, D. Manuel Linda.

A trasladação acontece pouco mais de dois anos depois de D. António Barroso ter sido considerado pelo Vaticano como "venerável", pelos "atos heroicos" desempenhados ao longo de décadas ao serviço da Igreja. Refira-se que D. António Barroso antes de chegar ao Porto havia já sido bispo no Congo, Moçambique e Índia.

Na igreja de Remelhe foi criado o "Panteão de Santa Marinha de Remelhe", em homenagem à padroeira da freguesia, para receber a "mais ilustre figura" de Remelhe, afirmou o pároco, Tiago Barros. Quem esteve presente, e foram algumas centenas, assistiu a "um momento solene para a história da Igreja de Portugal", afirmou o arcebispo de Braga, D. Jorge Ortiga.

D. António Barroso nasceu em Remelhe em 1854 e faleceu em 1918. Esteve duas vezes exilado pelas suas posições frontais contra a separação de poderes entre a Igreja e o Estado.

"Depois de o Vaticano considerar, em 2017, D. António Barroso venerável, a arquidiocese de Braga considerou imperioso que os seus restos mortais fossem preservados na igreja", estando, agora, mais perto dos santos, resumiu o pároco da freguesia, Tiago Barros.