Barcelos

Retirado do Cávado o corpo de menino atirado ao rio pela mãe

Retirado do Cávado o corpo de menino atirado ao rio pela mãe

Já foi retirado das águas do rio Cávado o corpo do menino de seis anos que estava desaparecido desde a tarde de sexta-feira, quando a mãe se atirou com o rapaz da ponte de Santa Eugénia.

O corpo do menino, de seis anos, foi encontrado sem vida, cerca das 15 horas deste sábado. Foi retirado das águas e colocado a bordo de um dos barcos que participam nas buscas.

Uma equipa da Polícia Judiciária deslocou-se, de barco, ao encontro da embarcação que recolheu o menino para analisar o corpo e recolher eventuais vestígios para investigação.

Após as perícias, o corpo foi encaminhado para morgue. As equipas de buscas fizeram uma barreira de segurança e a operação foi feita com máxima discrição.

O corpo do menino estava junto a um pilar da ponte de onde na sexta-feira foi lançado pela mãe, informou fonte dos bombeiros.

Segundo José Simões, adjunto do comando dos Bombeiros Voluntários de Barcelos, as indicações iniciais de alguém que terá avistado o corpo apontavam para outro ponto do rio, tendo sido aí que as buscas foram inicialmente centradas.

Hoje, os bombeiros terão recebido indicações corretas sobre o local e acabaram por encontrar o corpo, um pouco antes das 15:00, junto a um pilar da ponte.

O corpo foi encontrado numa altura em que as equipas de buscas foram reforçadas, tendo sido mobilizados cerca de 40 operacionais.

Durante a manhã, as equipas de mergulhadores fizeram "buscas exaustivas", essencialmente nos locais "mais confinados" do rio. "Os mergulhadores estão a bater a vegetação, poços, com mergulhos cruzados uns pelos outros, para que seja feito um varrimento mais correto", explicou o adjunto do comando dos Bombeiros Voluntários de Barcelos, José Simões, pouco antes de o corpo ser descoberto.

A base das operações continua a ser o areal do Bessa, junto à Escola Secundária de Barcelos, de onde têm saído as equipas de mergulho e onde se têm juntado alguns curiosos.

A mulher foi resgatada da água por um popular, pouco depois do incidente. Foi transportada para o Hospital de Braga e ao despertar, apurou o JN, perguntou pelo filho, que desapareceu nas águas do Cávado.

As buscas iniciaram-se na sexta-feira às 13 horas e foram suspensas às 19.30 horas. Foram retomadas, este sábado, com três embarcações na água e várias equipas de mergulho.

O Ministério Público determinou a abertura de um inquérito para investigação dos factos, sublinhando que eles "podem integrar, em abstrato, a prática de infração criminal de natureza pública, nomeadamente o crime de homicídio qualificado, na forma tentada ou consumada".

* com Augusto Correia

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG