Folhas e terra acumuladas

Associação queixa-se da falta de limpeza de ciclovia em Braga

Associação queixa-se da falta de limpeza de ciclovia em Braga

Braga Ciclável lamenta folhas e terra acumuladas na Variante da Encosta. Agere rejeita falta de manutenção.

Os responsáveis pela Associação Braga Ciclável estão insatisfeitos com "a falta de limpeza" dos detritos e folhas que se têm acumulado na ciclovia da Variante da Encosta, após os dias de mau tempo. Mário Meireles e Victor Domingues exigem lavagens "de forma regular". Rui Morais, administrador da empresa Agere, a quem cabe o serviço, garante que "o trabalho tem sido feito".

De acordo com os ciclistas, a recente intervenção na Avenida D.João II, que atravessa a Variante da Encosta, "melhorou a segurança" das pessoas, mas "a falta de limpeza das areias terra e folhas coloca em risco de queda as pessoas que ali circulam de bicicleta". Além disso, acrescenta Mário Meireles, presidente da Braga Ciclável, "é necessário rever alguns locais da referida via, pois em dias de chuva há acumulação de água em algumas partes da mesma".

PUB

"Não temos relatos de acidentes graves, mas têm havido muitos sustos. Há várias situações de derrapagem das bicicletas, porque há areias e folhas em todo o lado, mesmo onde não decorrem obras. Na ciclovia do rio Este o problema é mais ao nível das folhas", conta o dirigente associativo.

Segundo Mário Meireles, os problemas já foram relatados ao Município, à Agere e às Uniões de Freguesia de Nogueiró e Tenões e Nogueira, Fraião e Lamaçães. Na missiva, a associação exige "que se elabore um plano de limpeza e manutenção desta e das restantes pistas cicláveis de Braga e que o mesmo seja tornado público".

O presidente da Câmara, Ricardo Rio, refere que a responsabilidade pela limpeza das vias está delegada na Agere. Ao JN, o administrador da empresa de água, saneamento e resíduos assegura que aquela artéria "é limpa de três em três dias e, se houver alguma coisa mais grave, o trabalho é feito de dois em dois dias". "É óbvio que se acabar de chover, vamos ver folhas no chão. E nas semanas em que há previsão de grandes intempéries não adianta lá ir. Temos de esperar pelos dias de acalmia", justifica Rui Morais, ressalvando que a empresa "não tem equipamentos para estar a limpar as ruas da cidade todos os dias".

Ao todo, a Agere conta com 70 funcionários a trabalhar na limpeza de folhas e cerca de 20 equipamentos para ajudar nesse serviço.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG