Covid-19

Campus de Braga está encerrado. 180 alunos vão ser monitorizados

Campus de Braga está encerrado. 180 alunos vão ser monitorizados

"Cortar a cadeia de transmissão da doença dentro da comunidade", foi assim que Rui Vieira de Castro, reitor da Universidade do Minho, explicou, esta manhã, em Braga, o encerramento de cantinas, complexos pedagógicos e complexos desportivos no campus de Gualtar.

O encerramento foi decido após a confirmação de que um aluno do curso de História, natural de Felgueiras, está infetado com Covid-19 e, já doente, frequentou aulas e esteve em vários espaços da universidade. O aluno tem familiares que estiverem em Milão e que terão sido contagiados.

A decisão de encerrar o campus de Gualtar foi tomada ontem à noite mas hoje o reitor explicou as medidas a tomar. Para além da suspensão das aulas por tempo indeterminado, a atividade da Universidade do Minho será "severamente reduzida". O recurso ao teletrabalho "é uma das possibilidades a explorar", admitiu Rui Vieira de Castro, reconhecendo que a Universidade do Minho não tem condições técnicas para assegurar aulas através da internet.

"Cerca de 180 estudantes serão contactados, mas não estão ainda de quarentena, até porque essas são medidas que cabem à autoridade de saúde", especificou.

Entre alunos, funcionários, professores e investigadores, circulam diariamente mais de 12 mil pessoas pelo campus. Também por isso, solicitou a redução ao mínimo de eventos de natureza académica como seminários e encontros. Já todas as pessoas que estiveram em mobilidade em países onde há casos conhecidos devem, chegando a Portugal, submeter-se a um período de quarentena.

PUB

Rui Vieira de Castro referiu que se tratam de medidas de prevenção e recusa alarmismos à volta desta situação, sustentando que todas as entidades estão a desenvolver o seu trabalho.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG