Braga

Hospital terá menos 220 funcionários

Hospital terá menos 220 funcionários

O hospital do Grupo Mello Saúde que vai 'substituir' o Hospital de S. Marcos vai ter menos funcionários que a actual unidade de saúde. A administração nega mas o Bloco de Esquerda já perguntou à ministra se os trabalhadores deixarão de ser funcionários públicos.

Actualmente com 2000 funcionários, o hospital de S. Marcos, em Braga, vai reduzir o número de colaboradores para 1780, em Maio de 2011, quando a unidade de saúde se transferir para as novas instalações da Escala Braga, a Parceria Publico Privada (PPP) assinada entre o Ministério da Saúde e o Grupo José de Mello.

"O mapa de pessoal a transferir deverá ser constituído em 95% por funcionários do quadro do antigo Hospital de São Marcos e o resto deverá ser preferencialmente recrutado a outros hospitais do Serviço Nacional de Saúde", disse ao JN fonte da administração hospitalar.

A nova administração já contratou, desde Setembro de 2009, altura em que o S. Marcos passou a ser Escala Braga, cerca de 150 novos funcionários.

As dúvidas sobre a forma como decorrerá a transição para as novas instalações hospitalares e o modo como os colaboradores serão 'seleccionados' levou a que os deputados João Semedo e Pedro Soares, do Bloco de Esquerda, perguntassem a Ana Jorge, a ministra da Saúde, se os funcionários manterão o actual vinculo, garantindo os direitos adquiridos com os anos de serviço no S. Marcos, ou se terão que assinar um contracto individual de trabalho. "Confirma o Ministério da Saúde que os trabalhadores com relação jurídica de emprego público poderão manter esse vínculo, após a transferência para o novo hospital e não terão que assinar um contrato de trabalho com outra entidade", questionaram os deputados.

Sem resposta governamental, a administração da Escala Braga afirma que "neste momento, não está a ser proposto qualquer contrato aos funcionários do Hospital. O processo de transferência dos recursos humanos está a ser preparado em conjunto pela entidade gestora e a Administração Regional de Saúde do Norte com um ano de antecedência, com toda a atenção que a sensibilidade do tema impõe".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG