Emergência

Incêndio em edifício da Polícia Municipal de Braga começou em secador das mãos

Incêndio em edifício da Polícia Municipal de Braga começou em secador das mãos

O coordenador da Polícia Municipal de Braga, Paulo Barroso, ficou em sobressalto, esta sexta-feira de manhã, com um incêndio que deflagrou numa casa de banho da ala destinada à Assembleia Municipal, situada no edifício daquela força policial.

"Senti um cheiro a vir do piso de baixo e até pensei que pudesse ser um cigarro mal apagado. Mas, quando desci, estava tudo cheio de fumo", conta Paulo Barroso, adiantando que estava sozinho no edifício, no momento em que se terá dado o incêndio, pelas 11 horas.

O fogo começou num secador das mãos da casa de banho da sala da Assembleia Municipal, no piso inferior do edifício, ao que tudo indica, consequência de "um curto-circuito", afirma o coordenador ao JN.

Naquela altura, os elementos da Polícia Municipal de Braga estavam desatacados para vigilância do cumprimento de regras no mercado municipal, no âmbito da Covid-19.

"Se eu não estivesse cá [no posto], o incêndio podia ter sido pior. Ainda apanhei um susto", confessa Paulo Barroso, adiantando que, quando se apercebeu do problema, "abriu de imediato todas as janelas" do edifício.

Ao local acorreram os Bombeiros Sapadores de Braga com duas viaturas e seis operacionais.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG