Coronavírus

Instituto de Nanotecnologia em Braga manda os 400 colaboradores para casa

Instituto de Nanotecnologia em Braga manda os 400 colaboradores para casa

O Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL), sediado em Braga, perto da Universidade do Minho, acaba de reforçar as medidas internas que tem vindo a adotar desde o final de janeiro para fazer face ao novo coronavírus e, a partir de segunda-feira, todos os cerca de 400 colaboradores vão trabalhar a partir de casa.

As deslocações ao Laboratório vão ficar limitadas "ao mínimo essencial, para promover o isolamento voluntário e desta forma contribuir para inviabilizar a possibilidade contágio", explicam os responsáveis numa nota enviada ao JN.

O equipamento criou uma Comissão de Risco COVID-19, que está a avaliar a situação em permanência e a assegurar o cumprimento das medidas adotadas, entre as quais o cancelamento de eventos e visitas de escolas. Também garantem que estão a evitar a aglomeração de pessoas em reuniões com participantes internos e externos e a optar pela utilização de ligações remotas através de meios digitais.

O INL acrescenta que todas as viagens foram canceladas e todos os colaboradores permanecem em quarentena nas respetivas casas por 14 dias, após o eventual regresso de áreas identificadas como sendo de risco, ou que tenham estado em contacto com pessoas nessa situação.

"Estas medidas preventivas estão focadas na sociedade em geral, e na salvaguarda dos colaboradores do INL em particular, assumindo-se como o nosso compromisso no sentido de contribuir para o distanciamento social e ser parte da solução global para uma situação de saúde pública tão complexa como exigente", esclarece o diretor-geral, Lars Montelius.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG