Premium

Credor pede dinheiro ao banco para Câmara de Braga lhe pagar

Credor pede dinheiro ao banco para Câmara de Braga lhe pagar

Vai ser o próprio consórcio ao qual a Câmara de Braga deve dinheiro - dívida pela qual um dos acionistas mandou penhorar as contas da autarquia - que vai pedir dinheiro à Banca para ser a autarquia a assumir o compromisso.

Complicado? Talvez, mas trata-se de uma modalidade chamada "factoring", que resulta na obtenção de um financiamento de 4,1 milhões de euros da Assoc/Soares da Costa junto do BCP, de forma a que o banco pague aos empreiteiros, ficando a Câmara a pagar a dívida em prestações ao banco. Fonte bancária disse ao JN que o juro varia entre 0,75% e 1,75%, dependendo do prazo, de 24 a 60 meses.

Dessa forma, apurou o JN, o assunto não passará pelo crivo do Tribunal de Contas, já que é uma despesa que não entra diretamente na contabilidade da Autarquia, além de que as contas serão descongeladas a tempo de pagar salários e outros encargos até ao final do mês.