Braga

Empresa tem spa e oferece viagens, comida e roupa lavada aos trabalhadores

Empresa tem spa e oferece viagens, comida e roupa lavada aos trabalhadores

Se um dia destes ligar para a "BC Segurança", em Braga, para falar com uma funcionária e não conseguir por esta estar a tratar das unhas ou a fazer uma massagem não se admire. E não vale a pena queixar-se ao patrão. Foi dele a ideia de criar um mini-spa no local de trabalho.

É a última aquisição do "Departamento da Felicidade" que a empresa colocou ao dispor dos 34 trabalhadores, que já não tinham pouco: férias no estrangeiro, sala de diversões, alimentação, seguro de vida e de saúde, folga no dia de aniversário, prémios mensais e anuais e roupa lavada. Parece mentira, mas é assim a vida nesta empresa portuguesa que comercializa sistemas de segurança e que integra o Grupo Bernardo da Costa.

Onde querem passar férias?

"Pessoas felizes e motivadas trabalham melhor. Para nós o que faz sentido é proporcionar a todos os colaboradores as melhores condições possíveis - dentro e fora da empresa - pois sabemos que é a melhor ferramenta para a produtividade", defende Ricardo Costa, 38 anos, CEO do Grupo.

A motivação tem levado ao cumprimento dos objetivos. E quando assim é, há uma pergunta do administrador para os funcionários. "Onde querem passar férias este ano? Cabo Verde, Brasil, Ibiza ou Jamaica?". Escolheram a Jamaica, uma semana em junho com tudo pago pelo patrão. Quem não quiser ou não puder, recebe mais um ordenado, que na "BC Segurança" ronda em média os mil euros. Este ano, o avião vai para a Jamaica, mas desde 2014 já foram para o México, para Cuba e para a República Dominicana.

Massagens e manicura

O último mimo foi a criação, este mês, de um "mini-spa" na empresa. "Já havia uma sala de convívio, com bilhar, pingue-pongue, matraquilhos, mais procurada pelos homens. Era necessário algo mais direcionado para as senhoras e montamos um spa. Depois contratamos uma empresa especializada que vem dois dias por semana fazer massagens, manicura, pedicura, unhas de gel, tratamentos de corpo e depilações", conta Susana Barros, 43 anos, diretora de marketing. O serviço tem sido também muito usado pelos homens e está disponível no horário de trabalho, "sem que os funcionários tenham de compensar o tempo que estiveram no spa".

Jantar quase pronto

Para completar a "pensão completa" só faltava comida e roupa lavada. Já vamos à comida porque quanto à roupa... "contratamos uma lavandaria e desde fevereiro que os funcionários trazem a roupa suja de casa à terça-feira e levam-na à sexta lavada e engomada, sem custos para o trabalhador", explica a diretora.

A alimentação vem a caminho. "Estamos a ultimar um acordo com um restaurante que virá trazer o jantar à empresa às 18.30 horas para os trabalhadores levarem para casa e não se preocuparem com a alimentação. Vamos pagar parte dos dias, os restantes serão custeados pelos funcionários que quiserem, mas a um preço reduzido", revela a responsável.

Susana adianta que estas regalias custam cerca de dois mil euros por mês à empresa, "mas é um investimento rapidamente recuperado por uma equipa naturalmente produtiva".

* COM SANDRA FREITAS

Conteúdo Patrocinado