Incêndio

Empresa destruída pelo fogo em Braga garante postos de trabalho

Empresa destruída pelo fogo em Braga garante postos de trabalho

Está dominado o incêndio de grandes dimensões que deflagrou num armazém das tintas Robbialac, esta segunda-feira de manhã, em Braga.

O fogo deflagrou por volta das 7.30 horas numa zona de armazéns na rua Cidade do Porto, em Ferreiros, Braga. As chamas terão eclodido num edifício que alberga a fábrica e armazém das tintas Robbialac e ainda uma oficina automóvel. Cerca de 40 viaturas foram destruídas pelas chamas.

Os bombeiros conseguiram confinar o incêndio ao edifício e deram as chamas por controladas por volta das 9 horas da manhã.

"Dado o grau de destruição, não será possível os trabalhadores voltarem ao trabalho", disse o comandante dos Bombeiros Sapadores de Braga, João Felgueiras, num balanço aos jornalistas, às 10 horas desta segunda-feira.

João Felgueiras confirmou que o incêndio ficou circunscrito ao edifício e destruiu a fábrica e armazém das tintas e ainda a oficina automóvel. "O edifício estava dividido em duas empresas e o fogo afetou as duas", explicou o comandante dos Sapadores de Braga.

A fábrica de tintas e a oficina automóvel pertencem à mesma empresa, que reuniu com os trabalhadores, esta segunda-feira de manhã, e garantiu a manutenção dos postos de trabalho aos 23 funcionários, apurou o JN.

Não há registo de feridos. A estrada, uma importante via de entrada e saída da cidade, que dá acesso a empresas como a Bosch ou a antiga Delphi, está cortada ao trânsito, provocando grandes filas.

"A estrada foi cortada por precaução. A bomba de gasolina fica em frente e, naturalmente, também foi isolada", acrescentou João Felgueiras.

Os Bombeiros Sapadores de Braga mobilizaram sete viaturas e 24 operacionais, meios que foram reforçados com elementos dos bombeiros voluntários de Braga, Amares, Póvoa de Lanhoso e Taipas. No total, 117 operacionais, entre bombeiros Polícia Municipal e PSP, apoiados por 23 viaturas foram destacados para o sinistro.

ver mais vídeos