Braga

Morreu atropelado na A3 quando sinalizava acidente

Morreu atropelado na A3 quando sinalizava acidente

Jovem de Famalicão saiu do carro para evitar colisões com uma carrinha capotada na autoestrada em Braga e acabou colhido por um condutor. Vítima faria 23 anos na próxima quarta-feira

Um jovem de 22 anos morreu na manhã deste domingo num acidente na A3, em Guisande, Braga, quando tentava alertar os outros automobilistas para um despiste na autoestrada.

O alerta foi dado cerca das 9.30 horas. Uma carrinha de nove lugares ter-se-á despistado por causa do gelo, acabando por capotar ficando imobilizada no meio da via, no sentido norte-sul. Ao ver o acidente, o condutor de um carro que seguia atrás decidiu parar e sair da viatura para alertar os restantes automobilistas do perigo. A intenção de Luís Miguel Meira era a melhor mas foi colhido por um dos carros que tentava avisar.

A tragédia ocorreu depois de uma carrinha, com um grupo de operários, ter capotado antes de chegar ao Viaduto do Rio Guisando, da União de Freguesias de Guisande e de Oliveira São Pedro, em Braga, entre Celeirós e Santiago da Cruz.

Luís Meira, que seguia com um amigo e uma amiga ia fazer 23 anos na próxima quarta-feira. Natural de Joane, Famalicão, vivia em Monserrate, Viana do Castelo, onde estudava engenharia informática na Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico. Era filho único.

O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) enviou para o local uma equipa de psicólogos para apoiarem os amigos da vítima e o condutor que o atropelou, que ficaram em estado de choque.

PUB

Pedro Carvalho, da Companhia de Bombeiros Sapadores de Braga, afirmou ao JN que quando chegaram ao local já "todas as vítimas estavam fora das viaturas". Do despiste da carrinha resultaram três feridos ligeiros, operários, que foram transportados para o Hospital de Braga.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG