Bombeiros

Sapadores de Braga com mais meios de proteção face à Covid-19

Sapadores de Braga com mais meios de proteção face à Covid-19

Os Bombeiros Sapadores de Braga dispõem de mais meios de proteção face à Covid-19, segundo foi anunciado esta segunda-feira pelo presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, durante uma visita ao quartel daquela companhia

O Executivo Municipal tem procurado, em articulação com a Proteção Civil, dotar todos os bombeiros de todos os meios materiais para que estejam salvaguardados para enfrentar esta pandemia, minimizando, dentro daquilo que é possível, o risco de serem infetados com Covid-19", afirmou Ricardo Rio.

Recentemente, a realização de análises ao Covid-19 deu positivo a um dos colaboradores

da Companhia de Bombeiros Sapadores, tendo sido logo ativado o plano de contingência, os bombeiros desse turno foram colocados em quarentena domiciliária, de acordo com as regras definidas pela Direção Geral de Saúde e pela Autoridade de Saúde.

Esta segunda-feira, todos os profissionais da Companhia de Bombeiros Sapadores desse turno irão ser submetidos a análises de despistagem.

"Tudo o que pudermos fazer para garantir a segurança dos nossos profissionais será feito e, já esta semana, voltarão a ser reforçados alguns destes meios materiais", salientou o presidente da Câmara Municipal de Braga.

"É fundamental salvaguardar o bem-estar de quem possa vir a ser infetado e, em paralelo, de todos aqueles que com essas pessoas trabalham. Os testes têm de ser realizados no momento próprio, quando os profissionais estão em quarentena, caso contrário ninguém saberia se, entretanto, teria sido infetado" afirmou, adiantando que garantir a normalidade do funcionamento da Companhia de Bombeiros Sapadores de Braga e a continuidade da prestação do socorro à população é essencial: "Como esta, há uma serie de outras ocorrências a que temos de dar resposta e só o faremos se mantivermos a Companhia operacional".

Ricardo Rio expressou a sincera gratidão de todo o Executivo Municipal e dos bracarenses para com o trabalho desenvolvido pelos Bombeiros Sapadores, sendo "com muito reconhecimento que olhamos para o trabalho dos nossos profissionais e para a responsabilidade que têm pela frente, que todos estão a cumprir exemplarmente a missão que lhes foi confiada enquanto bombeiros deste município numa situação que é de ainda de maior risco que noutras circunstâncias", afirmou Ricardo Rio.

Sapadores com turnos duplos

Os Bombeiros Sapadores de Braga, que iriam cumprir o turno habitual de 12 horas, afinal cumpriram 24 horas consecutivas, por razões e força maior, a fim de evitar que entrassem para o serviço camaradas suspeitos de contrair Covid-19, a doença do novo coronavírus, um dos quais, soube-se sábado à noite, acusou positivo, encontrando-se já em isolamento.

A primeira medida adotada pelo comandante da Companhia de Bombeiros Sapadores de Braga, João Felgueiras, ao longo da noite deste sábado, foi antecipar o novo horário para todos os turnos, que de 12 horas passou já as 24 horas consecutivas, incluindo-se o último turno, que inesperadamente passou a acumular o dobro do tempo do serviço operacional.

Tudo isto no imediato para impedir que tivesse entrado na manhã deste domingo o turno do sapador bombeiro infetado, onde há ainda suspeitas de eventual contaminação entre a média de um terço das duas dezenas de operacionais que fazem parte deste mesmo grupo.

O comandante da corporação bracarense, João Felgueiras, mais o seu adjunto técnico, Nuno Machado, em articulação com o vereador da Proteção Civil, Altino Bessa, estão em sintonia permanente a articular todos os procedimentos de segurança e proteção aos seus profissionais e aos cidadãos em geral, tendo sido entregues esta semana equipamentos de proteção adequados a contactar suspeitos de ter contraído Covid-19, como constatou o JN.

Esses equipamentos já foram utilizados nos últimos três dias, no concelho de Braga, como já no caso das diversas situações suspeitas, entre as quais nas instalações da Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental (APPACDM) em Lomar e no caso do infetado que saiu de casa em Santa Tecla, originando uma perseguição policial.

No seio da Companhia de Bombeiros Sapadores de Braga, apesar das preocupações que são normais neste tipo de situações nunca antes vivenciadas, é grande o grau de motivação e de entrega ao serviço, honrando os pergaminhos desta instituição com mais de 220 anos, com todas as medidas de exceção do comandante, João Felgueiras, a merecerem o apoio incondicional e unânime do corpo ativo da corporação em nome da população bracarense, na sequência do juramento solene de bandeira e por não ser uma profissão como as outras.