Cabeceiras de Basto

Duas mulheres abandonam greve de fome após promessa de pagamento de salários em atraso

Duas mulheres abandonam greve de fome após promessa de pagamento de salários em atraso

As duas mulheres que, na quinta-feira, entraram em greve de fome, em plena rua, para protestarem contra o facto de o Conselho Diretivo dos Baldios da freguesia de Gondiães, Cabeceiras de Basto, não pagar, há um ano, o salário aos seus maridos, funcionários da estrutura, desistiram, esta noite, do protesto.

"O presidente dos Baldios Domingos Alves garantiu-nos que pagava segunda-feira os salários em atraso aos nossos maridos, e o da Junta de Freguesia, Manuel Ramos assegurou que, se isso não acontecesse ele resolveria o caso para que não passássemos fome", disse hoje ao JN, uma das envolvidas, Fátima de Jesus Fortuna, de 56 anos.

A cidadã cabeceirense, que entrou em greve com uma cunhada, ao meio dia de quinta-feira, salientou que o presidente do Conselho Diretivo lhes garantiu que iria esta sexta-feira ao Porto, para desbloquear uma verba que o organismo tem num banco e que, por isso pagaria, segunda-feira: "acabamos por aceitar a promessa, mas não entendemos porque é que isso não foi feito antes, deixando-nos no desespero", acrescentou, sublinhando que, nos últimos 17 meses o Baldio apenas pagou quatro mil euros ao cônjuge, ou seja, cerca de quatro meses.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG