Celorico de Basto

Câmara obrigada a demolir centro que custou três milhões

Câmara obrigada a demolir centro que custou três milhões

O tribunal da Relação de Guimarães confirmou uma decisão do tribunal de Celorico de Basto que decretou a demolição do Centro Escolar da Mota/Fervença, construído em 2012 pela Câmara de Celorico de Basto num terreno que não lhe pertencia.

A Autarquia tem agora de "restituir no estado em que se encontrava". Ou seja, vai ter de deitar abaixo uma escola que lhe custou três milhões de euros. A decisão da Relação não é passível de recurso.

Terminou mal para a Câmara de Celorico o contencioso que mantinha desde 2009 com um casal que reclamava ser o legítimo proprietário de parte significativa (1214 m2) do terreno no lugar de Tomada, Fervença, adquirido pela Autarquia a outras pessoas para a construção do Centro Escolar da Mota.

Leia mais na versão e-paper ou na edição impressa.