Trabalhos

Arrancaram dragagens no porto de Esposende para repor segurança na navegação

Arrancaram dragagens no porto de Esposende para repor segurança na navegação

As dragagens no porto de Esposende, para corrigir a atual situação de assoreamento e repor as condições de segurança da navegação, arrancaram esta quarta-feira, anunciou a Direção-Geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos (DGRM).

Em comunicado, a DGRM acrescenta que em causa está um investimento de 1,2 milhões de euros, a concretizar entre este ano e o próximo.

Em 2022 serão investidos 800 mil euros e o restante em 2023.

Segundo a DGRM, foram já realizados os trabalhos preliminares de planeamento e de autorização das entidades oficiais, bem como os levantamentos topo-hidrográficos e análise dos sedimentos a dragar.

"Considerando o estado de assoreamento do porto, os trabalhos tiveram hoje início com recurso a máquinas rotativas que irão retirar a primeira fase de dragados, sendo depois continuados com recurso a uma plataforma de dragagem do tipo 'Jackup'. Os sedimentos serão bombeados por tubagem dedicada, com repulsa nas praias adjacentes", lê-se no comunicado.

Os trabalhos são realizados em parceria com o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas e a Agência Portuguesa do Ambiente, uma vez que são retirados os sedimentos do canal de acesso e interior do porto e são movimentados para as praias, reforçando o combate à erosão costeira.

No planeamento dos trabalhos e na definição da metodologia de abordagem no canal de entrada do porto, a DGRM contou com a colaboração da Autoridade Marítima Nacional e da Associação de Pescadores Profissionais de Esposende.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG