Esposende

Demolição das torres de Ofir só "em último recurso"

Demolição das torres de Ofir só "em último recurso"

O ministro do Ambiente e do Ordenamento do Território, afirmou, esta terça-feira, que vão ser investidos 1,2 milhões de euros para "proteger" as torres de Ofir, em Esposende, sublinhando que a demolição só avançará "em último recurso".

"No caso das torres [de Ofir], ainda tentaremos proteger aquela infraestrutura, está previsto um projeto de 1,2 milhões de euros de proteção naquela zona", referiu Jorge Moreira da Silva.

Em causa estão três torres na praia de Ofir, com um total de cerca de 200 apartamentos, que no último inverno foram ameaçadas pelas marés vivas.

A demolição daquelas torres já chegou a ser anunciada em 2002, na altura em que o ministro do Ambiente era José Sócrates, mas o projeto foi abandonado pelo Governo seguinte, face ao seu elevado custo - cerca de 31,5 milhões de euros, dos quais 25 milhões para indemnizações aos proprietários.

"As torres são um exemplo de que como não avançamos para demolições de uma forma ligeira ou simplistas, há sempre uma avaliação custo/benefícios e só avançamos para demolições em último recurso", disse ainda Moreira da Silva.

O governante falava na praia de S. Bartolomeu do Mar, também no concelho de Esposende, onde assistiu ao arranque da operação de demolição de 27 construções.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG