Candidatura

Festas da Senhora de Antime, em Fafe, a pensar na UNESCO

Festas da Senhora de Antime, em Fafe, a pensar na UNESCO

O município de Fafe apresentou uma candidatura das Festas em Honra de Nossa Senhora de Antime a Património Cultural Imaterial. Uma tradição secular, a cada segundo domingo de julho, nas maiores festividades do concelho.

"Este é um passo indispensável para iniciar um caminho que poderá culminar na consagração pela UNESCO, reconhecendo uma festa com séculos de tradição e vivida e sentida atualmente por toda a comunidade", afirmou Raul Cunha, presidente da Câmara, durante a apresentação.

Para já, a candidatura é para integrar o Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial para que, mais tarde, o passo para a UNESCO possa ser trabalhado. "Procura valorizar o que é nosso, o Minho enquanto região com um conjunto de características que nos diferencia do resto do país, não só do ponto de vista das festas e romarias, mas também da gastronomia, do território e das tradições", destacou o autarca.

Este projeto é financiado pelo PROVERE (Programa de Valorização Económica de Recursos Endógenos) e a coordenação estará a cargo de Jean-Yves Durand, professor auxiliar na Secção de Antropologia da Universidade do Minho e membro do CEAS (Lisboa) e do IDEMEC (Institut d"Ethnologie Méditerranéenne, Européenne et Comparative, Aix-en-Provence).

"As Festas em Honra de Nossa Senhora de Antime são hoje uma manifestação cultural com muita força no concelho e que reúne o carinho de todos os fafenses. Nelas preservamos a tradição, mas damos um toque de inovação e modernidade. Espero que todos nos possamos empenhar neste projeto, dar o nosso contributo e esperar que seja reconhecido o valor de património imaterial cultural que estas festas acarretam."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG