Emergência

Bebé nasceu na ambulância dos Bombeiros de Entre-os-Rios

Bebé nasceu na ambulância dos Bombeiros de Entre-os-Rios

Um bebé de 32 semanas nasceu numa ambulância dos Bombeiros Voluntários de Entre-os-Rios, de Penafiel, na noite do passado domingo. O parto contou com a ajuda dos profissionais da viatura médica de emergência e reanimação (VMER) do Vale do Sousa.

Os pais vinham de carro, de Espadanedo, Cinfães, em direção ao hospital, quando a bolsa das águas se rompeu. Com a mãe já com contrações de cinco em cinco minutos, pararam então nos Bombeiros de Entre-os-Rios para pedir assistência, por volta das 22h40.

Foi já numa ambulância da corporação, com o auxílio dos bombeiros Joana Lopes, Ricardo Silva e da subchefe Sandra Rocha, que a mulher de 31 anos, já com um filho, seguiu viagem rumo ao Hospital Padre Américo, em Penafiel, em pleno trabalho de parto. Mas o pequeno Guilherme não quis esperar até lá. "As contrações já eram de três em três minutos", explica Sandra Rocha.

A ambulância ainda chegou a parar e os operacionais da corporação pensaram fazer o parto. Mas já com o apoio do médico e enfermeiro da VMER do Vale do Sousa a decisão foi prosseguir viagem até ao Hospital. O parto acabaria por acontecer em andamento. "Foi um parto difícil. Havia prolapso do cordão umbilical (cordão umbilical à volta do pescoço). O menino acabou por nascer na zona de Oldrões. Se não fosse a VMER não conseguíamos", admite Sandra Rocha.

Guilherme nasceu prematuro, às 32 semanas, com 1650 quilogramas. Foi transportado com a mãe ao Hospital Padre Américo, em Penafiel, onde estão os dois bem de saúde.

Para Joana Lopes e Ricardo Silva este foi o primeiro parto a que prestaram assistência, já para Sandra Rocha, bombeira há mais anos, a experiência não foi nova. "Um parto envolve sempre duas vidas", salienta Sandra Rocha. "É gratificante ajudar, mas sente-se o peso da responsabilidade", admite Ricardo Silva. "É bonito quando acaba bem", assume Joana Lopes.