UNESCO

IMI de moradores do Centro Histórico vai para tribunal

IMI de moradores do Centro Histórico vai para tribunal

Os moradores do Centro Histórico de Guimarães estão revoltados por terem de pagar IMI. A zona é classificada pela UNESCO e devia estar isenta. As Finanças discordam e têm uma nova interpretação da lei.

Maria Luísa Fernandes está reformada. Tem 67 anos e já mora no Largo Martins Sarmento há 50, em pleno Centro Histórico, paredes-meias com o Castelo. Desde 2001, ano em que viu a sua casa ser classificada como Património da Humanidade pela UNESCO, que estava isenta de pagar Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI).

No entanto, em junho, recebeu uma carta das Finanças a cobrar a taxa de 0,375% de IMI. Primeiro pensou que era engano, mas logo se apercebeu que não era a única. Dos 1000 moradores da zona classificada, já foram recebidas quase 200 notificações.

Leia mais na edição e-paper ou na edição impressa

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG