Guimarães

Pinheiro Nicolino erguido sem cortejo

Pinheiro Nicolino erguido sem cortejo

O Pinheiro Nicolino já foi colocado ao alto junto ao monumento dos estudantes, esta segunda-feira de manhã. O símbolo da abertura das Festas Nicolinas é normalmente trazido em cortejo, na noite do dia 29, ao som das caixas e bombos, mas, pelo segundo ano, este número foi cancelado, por motivos sanitários.

Recorde-se que a realização do cortejo recebeu, na passada sexta-feira, parecer negativo da subcomissão da Proteção Civil de Guimarães. A decisão motivou um protesto que levou à invasão da Assembleia Municipal, na noite de sexta-feira, por um grupo de nicolinos a rufar tambores.

A Proteção Civil justificou a decisão pelo "atual contexto de pandemia e verificada a evolução da situação epidemiológica, em consequência ainda da situação de calamidade anunciada pelo Governo, já a partir de 1 de dezembro".

Tiago Fernandes, o presidente da Comissão Nicolina, afirma que a decisão de erguer o Pinheiro esta manhã foi exclusivamente dos estudantes. "A Câmara limitou-se a autorizar, fomos nós que fizemos o corte e que tratamos do transporte e fomos nós que decidimos a hora. Já que não nos deixaram fazer a festa logo à noite, foi assim", afirma o responsável dos estudantes.

Quanto a possíveis reuniões que possam acontecer, após as Ceias Nicolinas, à hora a que devia ocorrer o cortejo, o presidente da Comissão Nicolina declina responsabilidades. "O Pinheiro está ao alto, a nossa missão está cumprida. O que vier a acontecer logo à noite não é responsabilidade nossa. Nós não podemos controlar o que as pessoas fazem", avisa Tiago Fernandes.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG