Exclusivo

Três propostas para salvar Coelima não descansam operários

Três propostas para salvar Coelima não descansam operários

Empresas de Guimarães, Vizela, Santo Tirso e Famalicão interessadas. Sindicato pede solução rápida.

Em dois dias, o Tribunal de Guimarães recebeu mais duas propostas para a recuperação e manutenção dos postos de trabalho da insolvente Coelima. No final da semana passada, já um consórcio de empresas tinha apresentado um plano para a firma de Pevidém, com 253 trabalhadores que continuam "ansiosos, preocupados" e "sem dormir", admite o funcionário e coordenador do Sindicato Têxtil do Minho e Trás-os-Montes, Francisco Vieira.

Depois do aparecimento do consórcio composto pelas empresas RTL e José Fontão & Cia., de Guimarães, na segunda-feira, a Felpinter, de Santo Tirso, e a Mundotêxtil, de Vizela, apresentaram um plano conjunto pela "manutenção da Coelima" e respetivos "contratos de trabalho". Um dia depois, o tribunal recebeu uma proposta da têxtil Mabera, de Famalicão, com o mesmo propósito.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG