Covid-19

Utentes de Guimarães recebem SMS para serem vacinados em centro encerrado

Utentes de Guimarães recebem SMS para serem vacinados em centro encerrado

Depois de o Centro de Vacinação de Guimarães ter mudado a sua localização do Multiusos da cidade para o Seminário do Verbo Divino, na sexta-feira, dia 26 de novembro, os utentes continuaram a receber convocatórias para comparecer no Multiusos.

Ao início da manhã desta segunda-feira, em menos de dez minutos o segurança do Pavilhão mandou mais de vinte pessoas para trás. "Tem sido assim permanentemente, desde sexta-feira", informa Amadeu Portilha, o presidente da Tempo Livre, entidade gestora do Multiusos, enquanto também vai dando informações a um casal que chega enganado pelo SMS.

"Recebemos a mensagem esta noite, diz que é aqui", lamenta-se António Pires, com o telefone na mão. "Nós já lidamos mal com esta coisa das mensagens, com estas confusões é pior ainda", queixa-se a esposa, procurando a mensagem no velho telefone de teclas, para confirmar a convocatória. Outro utente que trazia a mãe par ser vacinada reclama porque confirmou na página do SNS "e lá indica que o Centro de Vacinação é aqui".

A situação que está a acontecer em Guimarães é uma repetição do que aconteceu em Fafe, quando, há três semanas, o centro de vacinação foi deslocado de uma tenda, colocada no recreio de uma escola desativada, para o Pavilhão Multiusos da cidade. Os utentes também continuaram a receber mensagens que lhes indicavam o centro já fechado para fazerem a vacinação.

Com a chegada do tempo frio, não foi possível manter a vacinação na tenda que tinha sido montada para esse efeito, pelo que o centro regressou ao Multiusos, onde já tinha estado, esclareceu José Novais de Carvalho, diretor do Agrupamento de Centros de Saúde do Alto Ave.

Contudo, o sistema informático central da Direção-Geral da Saúde (DGS) não assumiu esta alteração e os utentes continuaram a receber SMS para irem ao local anterior.

PUB

A situação repete-se, agora em Guimarães. O espaço destinado ao centro de vacinação, no Multiusos de Guimarães, foi reduzido desde que esta infraestrutura voltou à sua atividade normal com concertos, espetáculos diversos e eventos desportivos. Com os objetivos recentemente definidos de vacinar mais pessoas, a falta de espaço tornou-se muito limitativa e foi decidida a mudança do centro para o Seminário do Verbo Divino, onde funcionou um centro de retaguarda, durante a fase mais aguda da pandemia.

Esta mudança aconteceu na sexta-feira, dia 26, e logo nesse dia começaram os problemas. Apesar de não ter havido vacinação, por estar a decorrer a mudança, as pessoas continuaram a receber convocatórias para comparecerem à vacina. Ao mesmo tempo que os funcionários do ACES desmontavam o centro de vacinação, as pessoas iam chegando para serem inoculadas.

A cena continuava a repetir-se esta segunda-feira, com o segurança do Pavilhão a não ter mãos a medir para explicar às pessoas que estavam no lugar errado. "Não deixe o táxi ir embora, agora é no Seminário do Verbo Divino". A maior fatia dos que eram mandados para trás eram pessoas idosas e muitas vinham de transportes públicos.

ARS diz que o site está a ser atualizado

A Administração Regional de Saúde (ARS) Norte afirma que "só no final do dia de sexta-feira passada é que o local Seminário do Verbo Divino ficou definido como espaço alternativo ao Pavilhão Multiusos". Quanto ao facto de não haver ninguém do ACES do Alto Ave no local para reencaminhar as pessoas, a ARS assegura que "toda equipa de segurança do Pavilhão, está a dar a informação aos utentes, não existindo, assim, necessidade de se duplicarem serviços e profissionais".

A ARS acrescenta que "os Serviços Partilhados do Ministério da Saúde estão dentro do assunto e, assim sendo, as alterações nos sites e/ou plataforma respetivas estão a ser devidamente atualizadas". Todavia, a ARS não avança com uma data para estas alterações estarem concluídas e, em Fafe, a mudança já aconteceu no dia 19 de novembro e, esta segunda-feira, quem pesquisar "onde receber a vacina", na página da DGS, continua a ser mandado para CS de Fafe (Edifícios da Escola), ou seja, o centro desativado.

A ARS garante que "foram colocados cartazes informativos sobre a deslocação" e a informação foi veiculada pelos órgãos de comunicação social, contudo, face a discrepância da informação na página da DGS e das convocatórias por SMS, as pessoas continuam a ser enganadas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG