Pandemia

Visitas suspensas a doentes covid no Hospital de Guimarães

Visitas suspensas a doentes covid no Hospital de Guimarães

O Hospital Senhora da Oliveira - Guimarães (HSOG) suspendeu as visitas a doentes internados com covid-19 com efeitos a partir de sexta-feira. A medida "tem como objetivo a proteção dos utentes e visitas". Hospital tem 77 pessoas internadas com covid-19, das quais três estão em cuidados intensivos.

Haverá também alterações nos horários das visitas, devido "ao atual comportamento da pandemia covid-19". Na Pediatria, "a criança internada tem direito a um acompanhante permanente (mãe, pai, ou pessoa significante) durante todo o período de internamento e a uma visita diária de 30 minutos no período da manhã e da tarde (mãe ou pai)".

Já na Neonatologia, os recém-nascidos têm também "direito a um acompanhante permanente (mãe, pai, ou pessoa significante) durante todo o período de internamento e a uma visita diária no período da manhã e da tarde (mãe ou o pai)".

No Internamento Geral, refere o hospital, "o número de visitantes por utente internado será, salvo em situações excecionais, de uma pessoa em dois períodos por dia, preferencialmente sempre o mesmo visitante, por um tempo máximo de 30 minutos, não podendo as visitas permanecerem na mesma enfermaria em simultâneo".

No Serviço de Medicina Intensiva (UCIP) (das 18 horas às 19.45 horas) o período máximo de visita é 15 minutos. Os doentes em Observações (das 17 horas às 18 horas) podem ter uma visita de 10 minutos.

Os doentes do Serviço de Psiquiatria podem ter apenas um visitante duas vezes por semana (das 16.30 horas às 18 horas). É possível consultar os horários das visitas, por serviço, na página de internet do HSOG.

É preciso apresentar certificado para entrar

PUB

Os visitantes devem apresentar Certificado Digital Covid válido, nas modalidades de teste ou de recuperação, ou, em alternativa, um resultado negativo num teste para SARS-CoV-2. Fica dispensado de apresentar teste com resultado negativo quem demonstrar ter sido vacinado, com uma dose de reforço de uma vacina contra a covid-19.

Contudo, o HSOG chama a atenção para que, "se teve um contacto de baixo risco deve limitar as interações com outras pessoas, reduzindo as suas deslocações ao indispensável, evitando o contacto com pessoas com condições associados a maior risco de desenvolvimento de covid-19 grave, nomeadamente doentes/familiares internados".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG