Vila Nova de Famalicão

Caçador mata cobra capaz de comer crianças

Caçador mata cobra capaz de comer crianças

"Nunca tinha visto uma cobra como aquela", garantiu ao JN José Manuel Oliveira, de 34 anos, o caçador do Louro, Vila Nova de Famalicão, que há uma semana matou, ao que parece, uma cobra pitão africana com mais de três metros.

José Manuel, funcionário de uma empresa de publicidade, juntamente com o pai e um irmão, passeava os cães de caça numa bouça a cerca de 500 metros de habitações, na encosta do "Santo do Monte", no lugar do Outeirinho, no Louro.

"Os cães começaram a ladrar muito e a correr, e eu fui ver o que é que os tinha assutado assim e vi a cobra crispar-se e a bufar", recordou José Manuel. Rápida e instintivamente, assestou a caçadeira ao ombro e disparou. Duas vezes.

"Nunca tinhamos visto uma cobra como aquela. Era bastante grossa, toda preta e, por baixo, tinha umas manchas verdes. O meu pai, que há anos anda pelos montes, nunca tinha visto nada assim", frisou. Pela história da família de caçadores do Louro, já passaram "centenas de cobras", mas nunca nenhuma como a que fotografaram com o telemóvel do pai de José Manuel.

"Quem anda à caça vê muitas cobras mas nunca as matamos porque são pequenas e inofensivas. Aquela assustava um bocadinho", reconheceu o caçador, veterano daquelas andanças.

A espécie da cobra é ainda um enigma para aquela família. "Devia ser uma cobra que soltaram no meio do monte, talvez de um circo ou de alguém que tinha o animal em casa. Não tinha nada a ver com as cobras rateiras que costumamos encontrar", referiu. Os irmãos e o pai fizeram uma cova no monte e taparam o réptil com fetos.

Arménio Macedo, presidente da Junta do Louro, que jamais vira réptil com tal envergadura, alvitra a origem externa à freguesia: "Alguém que a tivesse em cativeiro a largou ali ou então a cobra fugiu de um circo", cogita.

Analisada a foto pelo Instituto da Conservação da Natureza e Florestas (ICNF), João Loureiro sugere que a cobra é uma pitão. "É de certeza. Ao confirmar--se que é africana, é um animal que é muito perigoso e capaz de matar uma criança rapidamente", diz o especialista do ICNF.

"Estes animais são muito raros em Portugal. Só há em zoológicos ou circos, mas neste caso são raros os que têm um animal destes e com esta dimensão", diz João Loureiro, sugerindo que, "pelas imagens, deve ser uma fêmea".

"Desde 1992 que estes animais são ilegais. Exceto em zoológicos e circos", disse.

A última pitão a ser encontrada foi em agosto de 2011, em Alcabideche (Cascais). Media 1,77 metros.

* COM ALEXANDRA LOPES

Outros Artigos Recomendados