Municípios

Edifícios devolutos do centro de Famalicão vão pagar mais IMI

Edifícios devolutos do centro de Famalicão vão pagar mais IMI

São 65 os edifícios abandonados no centro da cidade de Famalicão e que por isso vão sofrer um agravamento do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) no próximo ano. A Câmara Municipal fez um levantamento e concluiu que este é o número de imóveis devolutos há mais de um ano.

A proposta do agravamento do imposto já foi aprovada em reunião de Câmara e vai seguir agora para ser analisada pela Assembleia Municipal. Depois, a informação sobre os imóveis devolutos será transmitida à Autoridade Tributária.

Para o presidente da Autarquia famalicense, Paulo Cunha, esta não é uma forma de angariar receita mas é "um sinal" aos proprietários de que a "melhor solução" é ocupar esses edifícios. "O que nós desejamos, com esta medida, é que no imediato ou de preferência nos próximos meses, esse agravamento seja levantado, o que era sinal que os prédios eram ocupados", afirmou o autarca.

Para Paulo Cunha, a possibilidade de agravar o IMI para prédios desocupados é uma medida "da mais elementar justiça porque sabemos que o agravamento do IMI é uma ferramenta ao serviço da criação de condições para que haja uma diminuição dos prédios devolutos".

"Quantos mais prédios devolutos tivermos, menos capacidade temos no concelho para habitação, comércio, serviços e outros", afirmou, lamentando a dificuldade de chegar a alguns dos proprietários, por não existir um cadastro.