Autarquia

PS acusa Câmara de Famalicão de "desrespeitar" luto pela morte de Jorge Sampaio

PS acusa Câmara de Famalicão de "desrespeitar" luto pela morte de Jorge Sampaio

A candidatura do PS à Câmara de Famalicão lamenta que a Autarquia tenha "desrespeitado" o luto nacional decretado pela morte de Jorge Sampaio.

Em comunicado enviado às redações a candidatura socialista diz que apesar do Presidente da República ter "deixado claro" que deveriam ser "cancelados ou adiados os eventos organizados ou promovidos por entidades ligadas ao Estado" durante os três dias de luto nacional " nos últimos sábado e no domingo o presidente da Câmara e o vereador com os pelouros das Freguesias e do Desporto e Tempos Livres" (Mário Passos, candidato da coligação PSD/PP à Câmara), "continuaram com o seu roteiro de inaugurações, visitas e lançamentos de primeiras pedras".

"O povo chama a isto descaramento e caça ao voto", lê se no documento.

Para a candidatura socialista "qualquer autarca consciente dos seus deveres perante as leis da República e o povo que representa teria, logo na sexta-feira, adiado ou cancelado a reabertura do Cineteatro Narciso Ferreira, em Riba de Ave". O presidente da Câmara de Famalicão, Paulo Cunha "assinalou" na passada sexta-feira à noite, a conclusão das obras de reabilitação do teatro.

Mas, refere a mesma fonte, " mais grave" aconteceu domingo, quando muitos faziam as últimas homenagens ao ex. Presidente da República "em Famalicão Paulo Cunha e Mário Passos ignoravam os sentimentos da maioria dos portugueses. E não pararam a campanha eleitoral: como presidente de Câmara e vereador". Passaram por " oito freguesias", sábado e domingo, aponta a mesma fonte.

O PS acusa ainda, a Câmara de "iludir" a Comissão Nacional de Eleições a palavra "inauguração" fora eufemisticamente substituída por "visita às obras concluídas" e "entrega simbólica à população".

"O dislate, porém, roçou a mais refinada produção teatral quando, para famalicense ver e apaziguamento de consciências em sobressalto, a direção de campanha da coligação PSD/CDS-PP fez saber no sábado, via Facebook, que suspendia as ações de promoção eleitoral previstas para os três dias de luto nacional", adianta o comunicado.

PUB

Para os socialistas a " história do Poder Local democrático em Vila Nova de Famalicão exige dos seus titulares mais decoro e outro sentido das responsabilidades". "A memória e o muito que por Portugal fez o Presidente Jorge Sampaio justificam que no governo municipal estejam cidadãos e democratas com outra dimensão cívica e mais cultura democrática", conclui.

Paulo Cunha, presidente da Câmara de Famalicão, não quis reagir, assim como a candidatura da coligação PSD/PP.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG