Covid-19

Cinco autarcas do Cávado e Ave pedem ao Governo testes a profissionais de saúde da região

Cinco autarcas do Cávado e Ave pedem ao Governo testes a profissionais de saúde da região

Os cinco presidentes de Câmara da área do agrupamento de Centros de Saúde (ACES-Cabreira/Gerês), os de Vila Verde, Amares, Terras de Bouro, Póvoa de Lanhoso e Vieira do Minho enviaram esta quarta-feira um protesto ao Governo para que os profissionais de saúde e os dos lares de idosos possam fazer testes de despistagem da Covid-19.

O autarca vilaverdense, António Vilela disse ao JN que há muitos profissionais, incluindo médicos e enfermeiros e trabalhadores de IPSS's à espera do teste, salientando que a sua não realização facilita a propagação do vírus: "Há dezenas de pessoas que entram em turnos semanais ou quinzenais em lares que acolhem idosos e que vão trabalhar sem que se saiba se têm ou não a doença, correndo-se, por isso, o risco de estarem a infetar os utentes".

Vilela diz que, mesmo pessoas com sintomas febris ficam na lista de espera: "É inaceitável que o Ministério da Saúde esteja a privilegiar a zona sul do país quando é no norte que está a maioria dos infetados", lamentou, frisando que, "nem no setor público nem no privado há quem faça testes atempadamente".

O autarca não sabe quantas são as pessoas que estão à espera de testes, mas um outro autarca disse que são mais de 300.

Uma outra fonte ligada ao processo adiantou ao JN que vários profissionais de saúde e da área social têm ligado para a Linha Saúde24, obtendo a seguinte resposta: "Não fazemos marcação"

Um outro cidadão da região revelou ao JN que "está há quase 15 dias em casa, com sintomas indicativos de que pode ter contraído o vírus". "Ligou para a Saúde24, disse que, se não lhe fizessem os testes iria trabalhar, mesmo correndo o risco de infetar outra pessoa". "Marcaram-me para 14 de abril", sublinhou a mesma fonte.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG